Os socialistas acreditam que é possível reverter a venda da TAP e, em vez da privatização total, vender apenas 49%. Os socialistas não falaram durante o dia sobre o assunto, mas esta quinta-feira, o dirigente do PS João Galamba, disse que o PS acredita que “é possível reverter e entrar no modelo que tem sido proposto pelo PS”, ou seja, pela manutenção do controlo público da empresa, com 51% do capital nas mãos do Estado.

O dirigente do PS disse esta noite na TVI24 que o partido, se for Governo e apesar de neste ponto não ter chegado a acordo com o BE e PCP, irá avaliar as implicações jurídicas e financeiras do processo, mas que as informações de que dispõe o levam a concluir que o plano do PS é possível: “Isto tem de ser avaliada nas suas implicações jurídicas e financeiras, mas com a informação que o PS tem, neste momento, entendemos que é possível reverter e entrar no modelo que tem sido proposto pelo PS, que BE e PCP não concordam, que é a TAP com 51% de capital público e entrada de capital privado”, disse.

Mas esta posição tem cautelas no predicado anterior. Disse Galamba que o partido vai “fazer o que tem a fazer respeitando o quadro legal existente” e que vai avaliar o valor das indemnizações, se houver necessidade de as pagar pelo falhanço do negócio. “Veremos qual o valor da indemnizações. Se as indemnizações forem exorbitantes, há um valor a partir do qual, nem o PCP nem o BE – que defendem que seja 100% pública independentemente do custo disso” estão dispostos a negociar. É preciso avaliar: “Teremos de ver no concreto”, insistiu.

Na TVI24, o socialista defendeu ainda a manutenção do hub da empresa em Portugal e diz que é esse um dos pontos pelos quais o PS se vai bater e que o acordo assinado por este Governo não garante que o hub fica no país.