Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Chamava-se Diesel, tinha sete anos e era membro da equipa policial que deteve sete pessoas esta manhã, todas relacionadas com os atentados de Paris. Deu o primeiro passo. Ou a primeira patada. Porque Diesel era uma cadela polícia, de raça pastor belga, treinada para detetar explosivos.

Quando entrou no apartamento onde os terroristas estavam barricados, em Saint-Denis, Diesel ia testar o nível de ameaça no interior da casa. A seguir, a polícia podia seguir. Mas foi morta assim que entrou no apartamento, conforme informou a Polícia Nacional francesa no Twitter, acrescentado que estes animais “são vitais” para as operações policiais.

Muitos foram aqueles que nas redes sociais homenagearam a cadela de sete anos e o assunto tornou-se viral no Twitter. Os utilizadores criaram até novas hashtags como #JeSuisChien, que se traduz para “eu sou cão”. Eis alguns exemplos.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

https://twitter.com/tom_padawan/status/666924645640220672

https://twitter.com/ClayMNU/status/666988939597754371

https://twitter.com/Laurav5l/status/666989656924364800