Falta pouco mais de uma semana para a ida às urnas e as sondagens põem os nervos em franja. Pelo menos para o PSOE de Pedro Sánchez, que parece ter tido uma semana negra. Esta sexta-feira, o El Confidencial divulga uma sondagem pouco animadora para os socialistas: o PP de Mariano Rajoy aparece como o vencedor relativo, com 26,7% das intenções de voto, seguindo-se o partido de centro-direita Ciudadanos, que sobe para os 23,2%. A surpresa maior é a queda do Partido Socialista de Sánchez para o quarto lugar, com 17% das intenções de voto, e a subida do Podemos para os 19%, beneficiando claramente do mau desempenho dos socialistas.

A sondagem, cujos inquéritos foram feitos entre 27 de novembro e 9 de dezembro, reflete o sprint final da campanha assim como o rescaldo do debate televisivo de segunda-feira entre os líderes partidários, que está a ser visto como um momento de viragem para Sánchez, que terá perdido apoio, e para Pablo Iglesias, que terá convencido uma importante fatia de eleitores indecisos. Segundo a mesma sondagem, os indecisos representam ainda um total de 26% dos inquiridos.

De acordo com o jornal El Confidencial, o cenário estimado pela empresa de sondagens DYM é o reflexo de uma autêntica “semana negra” para os socialistas – que culminou com a má prestação de Sánchez no último debate a quatro (sem Rajoy, que mandou a vice-presidente Soraya Sáenz de Santamaría em representação do PP). É que, se o líder do PSOE foi o claro derrotado do embate televisivo, o líder do Podemos foi o vencedor. E isso é o bastante para as peças do xadrez se mexerem mais para a esquerda, fazendo cair o PS e fazendo subir o partido da esquerda mais à esquerda.

A mesma sondagem dá conta de que, quanto os inquiridos são questionados sobre intenção direta de voto, o Podemos e o Ciudadanos são os que lideram, com 12,3% e 12% respetivamente. O que quer dizer que mais gente afirma que vai votar nestes dois partidos do que nos partidos tradicionais como o PP (11,8%) ou o PSOE (9,6%).