Os países da Liga Árabe exprimiram hoje a sua “solidariedade total” para com a Arábia Saudita face ao Irão, num momento de crise diplomática entre os dois países, que a ONU garante não ter implicações na situação da Síria.

A organização que junta vários países árabes emitiu um comunicado onde condena as “declarações hostis iranianas” e expressa a “solidariedade total” à Arábia Saudita face aos “atos e provocações hostis do Irão”.

A crise diplomática entre os dois países não irá, no entanto, ter implicações nas negociações sobre a situação na Síria, de acordo com as declarações do enviado especial da ONU.

“O ministro das Relações Exteriores saudita garantiu-me que não haveria impacto do seu lado”, disse Staffan de Mistura, acrescentando que teve a mesma garantia do lado iraniano.

A Arábia Saudita anunciou na semana passada o corte de relações diplomáticas com o Irão, na sequência da tensão gerada pela execução do clérigo xiita Nimr Baqer al-Nimr.

O anúncio foi feito pelo ministro dos Negócios Estrangeiros saudita, Adel al-Jubeir, como reação ao ataque à embaixada de Riade em Teerão por manifestantes que protestavam contra a morte de Al-Nimr, um dos 47 executados no sábado passado na Arábia Saudita e um feroz crítico do poder no reino sunita.

O responsável condenou igualmente “as ingerências negativas e agressivas do Irão nos assuntos árabes que frequentemente provocam danos e destruição”, referindo-se ao edifício da embaixada saudita em Teerão, que ficou parcialmente destruído, e ao consulado saudita atacado na cidade de Machhad.