Pedro Norton renunciou ao cargo de presidente executivo da Impresa e vai ser substituído por Francisco Pedro Pinto Balsemão, filho do presidente do grupo. A decisão já foi comunicada à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

De acordo com o que apurou o Observador, Pedro Norton já tinha manifestado vontade de sair da Impresa há alguns meses, mas terá acordado com Francisco Pinto Balsemão sair apenas quando o orçamento para 2016 estivesse fechado. A 6 de março de 2016 vai ser substituído por Francisco Pedro, filho do segundo casamento do fundador do grupo, com Maria Mercedes Aliu Presas (Tita). A proposta foi aprovada por unanimidade entre os membros do Conselho de Administração da Impresa.

Francisco Pedro é um lutador. Tem vida profissional, cultural e pessoal própria. Representa, na nova geração de gestores, os ‘millennials’, ou seja, está no limite etário dos 35 anos. E, perante os desafios da era digital, é de pessoas como ele que nós precisamos para continuar a fazer história nos media portugueses. Tem formação profissional em Direito e também em gestão, com diversos cursos e seminários frequentados em Portugal e no estrangeiro”, escreveu Francisco Pinto Balsemão, numa nota enviada aos colaboradores do grupo esta tarde.

Afirmando que acredita em Francisco Pedro, Pinto Balsemão escreveu que o filho conhece a casa que é o grupo Impresa “melhor do que ninguém”, dando importância às pessoas. “Gosta das pessoas, sabe ouvi-las, aconselhá-las, e, quando necessário, repreendê-las não as deixando abusar. E as pessoas são o melhor e o mais essencial que nós temos”, escreveu.

Francisco Pinto Balsemão disse ainda que, com esta mudança no conselho de administração do Impresa, encerra uma nova etapa dos 43 anos de história do grupo.

De acordo com o que foi apurado pelo Observador, Pedro Norton afirmou que deixou “para trás, uma casa a que deve muito”, sentindo “cabalmente” que cumpriu com o seu dever. Estava há três anos na liderança do grupo que detém o semanário Expresso, as televisões SIC e SIC Notícias, a revista Visão, entre outros meios.

“Só agora sinto cabalmente cumprido o meu dever que é o de vos deixar uma Impresa que, com o esforço e o sacrifício de todos vós, venceu uma crise sem precedentes no panorama mediático português, uma Impresa que derrotou acionistas hostis que a teriam desvirtuado, uma Impresa que tem hoje encerrados os dossiês mais importantes com que lidámos no último ano, uma Impresa reestruturada – com dor, estou disso bem consciente – e pronta a enfrentar, com a estabilidade e a confiança que todos merecem, o futuro”, afirmou Pedro Norton.

Em entrevista ao Jornal de Negócios, em 2008 – e quando confrontado com o facto de ser apontado como o sucessor de Francisco Pinto Balsemão – Pedro Norton já tinha dito que não via as coisas nesses termos. “Não me compete a mim definir isso, mas acho que este grupo terá que ter uma solução no quadro familiar, como é normal em todos os grupos familiares”, disse.

Francisco Pedro Pinto Balsemão é membro da comissão executiva do grupo Impresa desde 2012. Licenciado em Direito pela Universidade Nova de Lisboa, tem um mestrado da Universidade de Oxford, um curso geral de Gestão, na Nova School of Business and Economics, e programas avançados de gestão na Kellogg School of Management (Chicago) e na IMD Business School (Lausanne), de acordo com o que está a ser avançado pelo Expresso.

Com 35 anos, Francisco Pedro já trabalhou como advogado na Linklaters, em Lisboa, e como consultor de recursos humanos na empresa Heidrick & Struggles, antes de assumir a direção de Recursos Humanos na Impresa, em 2009. Em 2007, o novo CEO também trabalhou na Missão de Portugal junto das Nações Unidas, em Nova Iorque, na Comissão dos Direitos Humanos.

Francisco Pinto Balsemão tem mais quatro filhos e dois estão ligados ao grupo Impresa: Francisco Maria Supico Pinto Balsemão é vice-presidente do grupo e Mónica Balsemão, filha do primeiro casamento, é diretora de Marketing. Henrique Balsemão e Joana Balsemão não exercem funções no grupo de media.

Tal como em momentos anteriores, Francisco Pinto Balsemão voltou a escolher o número 6 para marcar uma nova etapa – o Expresso nasceu a 6 de janeiro de 1973, a SIC a 6 de outubro de 1992, a revista Caras a 6 de setembro de 1995 e a SIC Caras a 6 de dezembro de 2013.