Rádio Observador

André Carrillo

Pinto da Costa: “Telefonaram-me a dizer que o Carrillo estava a assinar pelo Benfica

120

Pinto da Costa revelou que lhe "telefonaram a avisar que o Carrillo estava a assinar pelo Benfica e perguntaram se o FC Porto estava interessado".

António Cotrim/LUSA

O presidente do FC Porto, Jorge Nuno Pinto da Costa, revelou que recebeu uma chamada esta semana onde o informaram que o extremo do Sporting André Carrillo “estava a assinar pelo Benfica”. Em declarações à SIC, Pinto da Costa afirmou que lhe “telefonaram a avisar que o Carrillo estava a assinar pelo Benfica e perguntaram se o FC Porto estava interessado.” No entanto garantiu ainda que “não quero saber nada disso, não quero saber dos outros. Se quer assinar pelo Benfica faz muito bem”.

A mim não me interessa nada o que fazem, interessa-me é o FC Porto. Ainda ontem, telefonaram-me a avisar que o Benfica estava a assinar com o Carrillo. Até me disseram onde e no apartamento de quem, e se o FC Porto estava interessado em entrar. A mim não me interessa nada disso. É um problema deles. Alguém aproveitou até para tentar criar uma guerra entre os clubes, mas não tenho nada a ver com isso. É o FC Porto que tenho de dirigir, o resto é zero”, disse.

O extremo internacional peruano, de 24 anos, está afastado das opções do treinador Jorge Jesus desde a receção aos russos do Lokomotiv Moscovo, da primeira jornada da Liga Europa, a 17 de setembro de 2015. Passadas duas semanas, o Sporting anunciou a instauração de um processo disciplinar e a “consequente suspensão imediata do jogador”, depois de terem falhado as negociações.

No seguimento do cenário das contratações, Jorge Nuno Pinto da Costa garantiu ainda que o FC Porto não vai contratar novamente o espanhol Óliver Torres, do Atlético de Madrid, apesar “das boas recordações que deixou no Porto” na época passada.

“Não posso estar a comentar o que vem nos jornais, mas abro uma exceção para dizer que não é verdade o que se diz em relação ao Óliver e à possível vinda para o FC Porto. Foi um jogador que passou aqui, deixou aqui boas recordações, mas não há hipóteses de voltar”, esclareceu ainda.

O presidente do FC Porto acrescentou que, depois das chegadas de Suk (ex-Vitória de Setúbal) e de Marega e José Sá (ex-Marítimo), não deverá haver mais reforços no período de transferências que encerra na segunda-feira.

“Há sempre a expectativa de poder aparecer alguém, mas neste momento estou convencido de que não haverá mais entradas nem saídas, embora tenhamos recebido várias propostas para saídas. Inclusive, ainda hoje recebemos uma de Inglaterra pelo Aboubakar, a que respondemos imediatamente que não. O plantel está formado e é com este que estamos a trabalhar e não pensamos em alterações”, revelou Pinto da Costa.

Em relação a Julen Lopetegui, e às declarações que o treinador proferiu ao jornal As e nas quais afirma que Pinto da Costa “foi mal aconselhado” aquando o seu despedimento, o presidente não quis comentar, referindo apenas a “amizade” que nutre pelo técnico espanhol.

“É um cidadão livre e pode ter as suas opiniões e não vou comentar. Sou amigo dele, acho que as relações pessoais nada têm a ver com as profissionais, criámos uma estima que penso ser recíproca. Não vou comentar nada que ele diga. Tem o direito de pensar o que quiser”, disse ainda.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)