Religião

Papa Francisco e patriarca russo Kiril abraçam-se em encontro histórico

O papa Francisco e o patriarca ortodoxo russo Kiril encontraram-se na sala presidencial do aeroporto de Havana e deram um abraço, naquele que é o primeiro encontro dos líderes das duas Igrejas após o cisma de 1054.

ALESSANDRO DI MEO/EPA

O papa Francisco e o patriarca ortodoxo russo Kiril encontraram-se na sala presidencial do aeroporto de Havana e deram um abraço, naquele que é o primeiro encontro dos líderes das duas Igrejas após o cisma de 1054.

Francisco vinha de Roma, com destino à Cidade do México, e fez escala na ilha caribenha para se encontrar com Kiril, que está em Cuba no âmbito de uma visita à América Latina.

“Foi um encontro muito desejado tanto por mim como pelo meu irmão Cirilo (Kiril)”, disse o papa aos jornalistas que o acompanham no voo que o levará à capital mexicana.

Sentados numas cadeiras brancas e com os intérpretes ao lado, os dois líderes religiosos começaram a conversar perante os fotógrafos e as câmaras, ao início sem a ajuda de tradução.

Depois, a imprensa abandonou a sala e a reunião privada começou às 14:30 locais (19:30 de Lisboa), prevendo-se que dure cerca de duas horas.

Após a reunião, vão assinar uma declaração conjunta em russo e italiano e proferirão os respetivos discursos, passando-se em seguida à cerimónia de troca de presentes e de apresentação das delegações.

À chegada a Havana, o papa foi recebido pelo Presidente cubano, Raúl Castro, aos pés da escada do avião que o levará depois ao México. Estiveram também presentes o cardeal Kurt Koch, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, e o prelado metropolitano Hilarion, encarregado das relações externas e do diálogo com os católicos do patriarcado, cargo que Kiril ocupou antes de ser eleito chefe da Igreja Ortodoxa Russa.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Cristianismo

A Ucrânia e os valores cristãos da Europa

Pavlo Klimkin
373

Na Rússia ortodoxa nunca houve liberdade, democracia, abertura, nem tolerância como valores. Portanto, a Rússia não pertence à civilização da Europa, apesar de todas as semelhanças externas. 

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)