O início da audição do ministro Vieira da Silva no Parlamento ficou marcado por uma troca de acusações com o PSD. A deputada social-democrata Mercês Borges acusou o ministro de fazer nomeações partidárias no Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP). Na resposta, Vieira da Silva diz que não tem comparação com o que foi feito pelo anterior Governo que “tentou condicionar para o futuro uma gestão partidarizada das instituições da Segurança Social.

No início do debate, a deputada lembrou as nomeações no IEFP, quando o Governo fez nomeações de muitos dirigentes “vindos de fora” do instituto, e muitos, acrescentou, com ligações partidárias.

Vieira da Silva não gostou de ouvir. “Quem conhece a forma como foram feitas as nomeações no anterior Governo, espanta-se com essa afirmação”. E atirou dizendo que “o anterior Governo tentou condicionar para o futuro uma gestão partidarizada das instituições da Segurança Social”.

Nas explicações aos deputados sobre as nomeações de dirigentes do IEFP – de recordar que hoje o Diário Económico afirmava que o Governo tinha anulado 12 concursos para quadros dirigentes, muitos deles no Ministério de Vieira da Silva – Vieira da Silva disse que o objetivo foi “colocar pessoas com experiência profissional e com experiência na formação profissional”, e que na sua maioria foram pessoas que estavam no quadro do instituto, mas que nem sempre foi possível.

E acrescentou ainda que não tem uma política de “saneamento” e por isso manteve “nos seus postos a grande maioria dos dirigentes (mesmo estando em condições de substituição) e muitos deles com ligações partidárias explícitas, explícitas, explícitas”, reforçou.

O ministro foi ainda mais longe e contou o caso de um dirigente da Segurança Social nomeado pelo anterior Governo que disse em entrevista (não disse quem), que “considerava não ter condições para continuar no cargo com um governo do PS. Passaram três meses desde a tomada de posse. Estou à espera da carta de demissão desse senhor. Para falar em partidarização está tudo dito”, finalizou.