O referendo interno do Podemos chumbou por larga maioria (88,23%) a possibilidade de pacto com o PSOE e o Ciudadanos para um Governo em Espanha. O referendo mostrou também o apoio (91,79%) à posição do líder do partido, Pablo Iglesias, de só apoiar Pedro Sánchez, líder do PSOE, numa coligação à esquerda ( IU-Unidad Popular e Compromís) que excluisse os Ciudadanos.

Se o PSOE insistir em coligar-se com o Ciudadanos, o Podemos manterá a decisão de bloquear a ascensão de Pedro Sánchez a presidente do governo espanhol, levando à repetição das eleições a 26 de junho. Segundo o jornal espanhol El Mundo, Pablo Iglesias tinha uma posição tão firme contra este pacto que ameaçou demitir-se caso o resultado do referendo interno fosse diferente.

Esta votação contou com a participação de 150 mil militantes, quase 40% dos eleitores. Apenas 11,77% estão dispostos a apoiar uma coligação com PSOE e Ciudadanos e só 8,21% rejeitam uma coligação entre Podemos e PSOE, refere o jornal espanhol El País.