As vendas de divisas pelo Banco Nacional de Angola (BNA) atingiram na última semana mínimos do ano, de 1,1 milhões de euros, indica um relatório do banco central angolano a que a Lusa teve hoje acesso.

Segundo o relatório semanal do banco central sobre a evolução dos mercados monetário e cambial, no período entre 18 e 22 de abril estas vendas do BNA aos bancos comerciais angolanos limitaram-se à “cobertura de necessidades das companhias aéreas”.

Os 1,1 milhões de euros em divisas comparam com os 336,3 milhões de euros vendidos aos bancos comerciais na semana anterior.

A taxa de câmbio média de referência de venda do mercado cambial primário, apurada ao final da última semana, permaneceu inalterada nos 166,707 kwanzas por cada dólar e de 186,261 kwanzas por cada euro.

Angola enfrenta uma crise financeira e económica com a forte quebra (50%) das receitas com a exportação de petróleo devido à redução da cotação internacional do barril de crude, tendo em curso várias medidas de austeridade.

Esta conjuntura levou a uma forte quebra na entrada de divisas no país e a limitações no acesso a moeda estrangeira aos balcões dos bancos, dificultando as importações.

Persiste no país a forte redução da disponibilidade de moeda estrangeira no país, sendo o montante vendido aos bancos limitado às necessidades mais urgentes do sistema bancário e que obrigam a autorização do banco central.

A falta de divisas, em função da procura, dificulta, por exemplo, as necessidades dos cidadãos que precisam de fazer transferências para o pagamento de serviços médicos ou de educação no exterior do país ou que viajam para o estrangeiro.