Aquecimento Global

Aquecimento global. Austrália “apaga” a Barreira de Corais de um relatório da UNESCO sobre locais em risco

Austrália invocou o impacto negativo para o turismo. E o capítulo sobre a Grande Barreira de Corais desapareceu do relatório da UNESCO sobre os locais património da humanidade ameaçados pelo clima.

Getty Images

As referências à Austrália foram apagadas de um relatório da UNESCO sobre o impacto das alterações climáticas em locais classificados como património mundial da humanidade depois de uma intervenção do governo. De acordo coma edição australiana do The Guardian, as autoridades locais invocaram o impacto negativo para o turismo da inclusão na lista da Grande Barreira de Corais, um dos principais focos de atração do país.

O relatório Património da Humanidade e Turismo num Clima em Mudança elenca 31 locais que estão vulneráveis a fenómenos como o aumento da temperatura, o degelo de glaciares, a subida do nível das águas do mar, a intensificação de eventos climatéricos extremos, o agravamento das secas e das épocas de incêndios. A lista inclui atrações turísticas tão procuradas como a Estátua da Liberdade em Nova Iorque e a laguna de Veneza, em Itália, mas também as Ilhas Galápagos, a Gronelândia, o parque natural de Yellowstone nos Estados Unidos ou o monumento pré-histórico Stonehenge, no Reino Unido.

O documento com cerca de 100 páginas não faz referência à Grande Barreira de Corais na Austrália, apesar de ser um facto do conhecimento público que o aquecimento da temperatura da água tem tido um efeito de devastador ao nível da descoloração dos corais que já prejudicou ou matou 95% das barreiras na região norte. Este efeito tem sido classificado pelos cientistas como a descoloração mais grave registada na história da grande barreira.

O problema do branqueamento dos recifes de corais é referido no relatório, no entanto, é apenas apontado um ecossistema específico, na ilha francesa da Nova Caledónia no Pacífico Ocidental. Segundo o Guardian Australia, o relatório incluía um capítulo central sobre a Grande Barreira de Corais, bem como referências a Kakadu e à floresta da Tasmânia.

Estes conteúdos incluídos na versão preliminar terão sido removidos do documento final por pressão das autoridades australianas que invocaram o impacto negativo que estas informações teriam no turismo do país. A intervenção terá sido desenvolvida pelo departamento ambiental australiano. Um porta-voz desta entidade, citado pelo Guardian Australia, justifica: “A experiência recente na Austrália mostra que um comentário negativo sobre a situação dos locais classificados como património da humanidade tem impacto no turismo”.

Segundo o jornal, não foram eliminadas referências a outros países. A Oceânia é assim o único continente que não é mencionado no documento.

O relatório é uma iniciativa da UNESCO (a organização das Nações Unidas para educação, ciência e cultura), que é responsável pela atribuição da classificação de património da humanidade, do programa ambiental da ONU e da Union of Concerned Scientists.

Will Steffen, um dos cientistas que foi responsável pela revisão da secção censurada sobe a grande barreira compara a intervenção australiana à atuação da antiga União Soviética e deixa um apelo no site do Climate Council (Conselho do Clima), ao que já é conhecido como o reefgate.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: asuspiro@observador.pt
Crónica

Os meninos à roda da propaganda /premium

Helena Matos
2.321

O menino que em 2012 chorava porque a mãe não tinha dinheiro para comprar bolachas agora quer salvar o planeta. O que mudou? A cor política do Governo. As bolachas essas continuam iguais. 

Mar

Bruno Bobone: «do medo ao sucesso»

Gonçalo Magalhães Collaço

Não, Portugal não é uma «nação viciada no medo» - mas devia realmente ter «medo», muito «medo», do terrível condicionamento mental a que se encontra sujeito e que tudo vai devastadoramente degradando.

Astrofísica

Buracos negros e a ciência de dados

Manuel Loureiro
100

Os métodos e os algoritmos da ciência de dados aplicados neste empreendimento fantástico são os mesmos que usamos quando pretendemos segmentar mercados, prever saldos bancários ou planear a produção.

Mar

Bruno Bobone: «do medo ao sucesso»

Gonçalo Magalhães Collaço

Não, Portugal não é uma «nação viciada no medo» - mas devia realmente ter «medo», muito «medo», do terrível condicionamento mental a que se encontra sujeito e que tudo vai devastadoramente degradando.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)