O Parlamento Europeu aprovou esta quarta-feira a criação de uma comissão de inquérito sobre o caso Panama Papers. O objetivo é apurar se houve má administração ou contravenções por parte da Comissão Europeia ou dos Estados-membros na aplicação das regras comunitárias, relacionadas com o branqueamento de capitais, a elisão fiscal ou a evasão fiscal.

Segundo o comunicado do Parlamento Europeu, a comissão de inquérito será composta por 65 eurodeputados e deverá apresentar um relatório num prazo de 12 meses.

Por enquanto, os nomes dos eurodeputados que farão parte desta comissão ainda não são conhecidos. A lista só será aprovada na próxima sessão plenária, agendada para os dias 22 e 23 de junho, em Bruxelas.

A proposta de criação de uma comissão de inquérito sobre os Panama Papers foi apresentada pela Conferência dos Presidentes do Parlamento Europeu, que é composta pelo presidente do Parlamento, Martin Schulz, e pelos líderes dos grupos políticos, no dia 2 de junho.