Os ministros da zona euro deram o sim e o Mecanismo Europeu de Estabilidade vai transferir mais 7,5 mil milhões para a Grécia usar no pagamento da sua dívida pública e de dívidas em atraso há mais de 90 dias do Estado grego.

No comunicado enviado esta sexta-feira, o Mecanismo Europeu de Estabilidade diz que a Grécia cumpriu todas as condições que o Eurogrupo exigiu no acordo alcançado na reunião de maio e que por isso os ministros aprovaram o desembolso relativo à primeira revisão do terceiro programa de resgate a Atenas.

Os ministros aprovaram o desembolso total de 10,3 mil milhões de euros, mas em duas partes. A primeira, os 7,5 mil milhões de euros é transferida de imediato para os cofres gregos. Os restantes 2,8 mil milhões de euros só serão entregues à Grécia quando for implementado mais um conjunto de exigências europeias, entre eles a redução dos pagamentos em atraso.

“Esta decisão de desembolsar 7,5 mil milhões de euros para a Grécia é o reconhecimento do empenho do governo grego em levar a cabo reformas essenciais. [A Grécia] aprovou legislação que irá: reforma o sistema de pensões e o sistema fiscal; estabelecer um novo fundo de privatizações e investimento; permitir a venda de crédito malparado; e introduzir um mecanismo automático de ajustamento orçamental que é ativado caso as metas orçamentais não sejam cumpridas”, diz o diretor-geral do Mecanismo, o alemão Klaus Regling, no mesmo comunicado. Estas medidas, defende ainda o responsável, vão permitir à Grécia voltar ao caminho do crescimento económico.

O Mecanismo lembra ainda que no acordo conseguido em maio foram acordados um conjunto de princípios para o alívio da divida grega, algumas delas para serem aplicadas no decurso do programa, mas avisa que isso só irá acontecer se a Grécia continuar a cumprir todas as condições exigidas no programa de resgate.