Um dos efeitos menos simpáticos após o referendo que determinou a saída do Reino Unido da União Europeia resulta nas manifestações de xenofobia e racismo que se fazem sentir. Escreve o jornal The Guardian que nos últimos dias registou-se um aumento significativo de relatos de crimes de ódio. Estes e outros incidentes estão, pois, na origem de uma campanha solidária que está a ganhar forma nas redes sociais, com o muito tradicional alfinete-de-dama (safety pin, em inglês) a ser o grande protagonista.

Allison, uma norte-americana a viver em Londres, é a responsável por uma iniciativa que pretende virar as costas à xenofobia. A mulher, que se recusou a dizer o seu apelido à imprensa internacional, usou as redes sociais para pedir que as pessoas usassem um alfinete-de-dama sem quaisquer adornos de modo a simbolizar solidariedade para com os imigrantes a viver no Reino Unido.

A ideia é simples: quem sair à rua com o alfinete em questão, esteja ele preso ao casaco ou à camisola, pode ser considerada uma pessoa segura para os imigrantes. “É simples porque não temos de ir à rua comprá-lo [ao alfinete], não há qualquer língua ou slogan político envolvido. É apenas um pequeno sinal que mostra que as pessoas que sofrem crimes de ódio não estão sozinhas e que o seu direito de estar no Reino Unido é apoiado”, disse Allison em conversa com o jornal Independent.

“Tenho sempre de recordar as pessoas de que sou imigrante”, acrescentou ainda, referindo que o facto de ser caucasiana e de ter o inglês como primeira língua é motivo para poucas pessoas olharem-na enquanto imigrante. “Elas dizem ‘oh, tu não contas, não és o tipo de pessoa de que estamos a falar'”.

Por enquanto a hashtag #safetypin é uma tendência no Twitter, mas Allison espera por resultados mais palpáveis, com impacto na vida real.