As tropas iraquianas reivindicaram esta quinta-feira ter morto 150 guerrilheiros do grupo Estado Islâmico (EI) e destruído 260 veículos militares em raides aéreos sobre os jihadistas que fugiam de Falujah após terem sido derrotados pelo exército do Iraque.

Fontes do Centro de Coordenação das Operações (CCO) iraquiano indicaram que os ataques aéreos começaram na madrugada de terça para quarta-feira, à medida que centenas de veículos militares e de transporte de armamento e de munições tentavam abandonar as últimas posições detidas pelo EI a oeste de Falujah.

“Os nossos heróis da aviação militar destruíram mais de 200 veículos”, disse o porta-voz do CCO, Yahya Rasool, indicando que foram também apreendidas “largas quantidades” de armas e munições.

A reivindicação da morte dos 150 elementos do EI está, porém, ainda por confirmar, aguardando-se pela respetiva identificação no terreno.

O porta-voz do CCO iraquiano reportava inicialmente os resultados da primeira série de ataques aéreos a um vasto comboio com centenas de veículos em direção ao deserto a sul de Falujah, área que próxima da fronteira da Síria que, aparentemente, está ainda controlada pelo EI.

Na segunda série de ataques aéreos, realizada mais tarde, foram destruídos “pelo menos outros 60 veículos militares” do EI, parte de um outro “comboio” que seguia para norte de Falujah, indicou outro porta-voz do CCO iraquiano, Ismail Mahalawi, líder do Comando de Operações de Anbar.

Mahalawi disse também desconhecer o número de combatentes do EI mortos no segundo raide, liderado pela Força Aérea Iraquiana e com o apoio da coligação militar liderada pelos Estados Unidos.

Após uma vasta operação militar iniciada em maio, as forças iraquianas retomaram recentemente o controlo total de Faluja, um emblemático bastião jihadista situado 50 quilómetros a oeste de Bagdad.