As receitas de uma das maiores operadoras de comunicações móveis a operar em território nacional voltaram a crescer. O aumento do número de clientes fixos e de utilizadores de 4G acabou por ser decisivo.

Mais clientes de banda larga móvel, mais clientes fixos, mais receitas de serviço e mais receitas totais: os números da Vodafone Portugal são animadores e demonstram uma rota de crescimento que já dura há vários meses.

As receitas de serviços atingiram os 236,9 milhões de euros no segundo trimestre fiscal, uma subida de 2,2% face a igual período de 2015, de acordo com a operadora liderada por Mário Vaz.

“Este desempenho revela uma aceleração significativa do ritmo de crescimento do principal indicador de negócio, que avança pelo quarto trimestre consecutivo”, explicou a operadora, referindo-se às receitas de serviço.

Segundo a Vodafone Portugal, o desempenho “é ainda mais expressivo” se for considerado “o efeito da descida das tarifas de terminação móvel da voz, sem a qual as receitas de serviço teriam subido, neste trimestre, 2,9%” em termos anuais.
“A Vodafone Portugal mantém a tendência de crescimento, reflexo de um posicionamento estratégico diferenciador num sector cada vez mais competitivo e convergente. O serviço móvel apresenta uma progressiva recuperação, permitindo à Vodafone manter a sua posição de relevo nesse segmento, e no negócio fixo, em particular na TV por subscrição, a Vodafone tem vindo a reforçar sistematicamente a sua quota de mercado”, garantiu o presidente executivo da Vodafone Portugal, Mário Vaz, em comunicado oficial enviado para a redação do Economia ao Minuto.