Agora que o Partido Verde fez um pedido formal para ser feita uma recontagem dos votos no estado do Wisconsin, que Donald Trump conquistou com menos de 30 mil votos, um membro da campanha de Hillary Clinton fez saber que a equipa da democrata está pronta para cooperar nesse esforço. Isto apesar de ter reservas quanto ao resultado dessa recontagem. Donald Trump já categorizou esta iniciativa de “ridícula”.

“Agora que uma recontagem foi iniciada no Wisconsin, tencionamos participar nela de maneira a assegurar que o processo decorre de uma maneira que seja justa para todos os lados”, escreveu Marc Erik Elias, um dos conselheiros de topo da equipa da democrata, num post do site Medium.

No mesmo texto, Marc Erik Elias disse que a campanha de Hillary Clinton fez uma investigação às eleições, acrescentando que não foram descobertas provas de intromissões no sistema ou “tentativas externas de alterar a tecnologia de voto”. Como tal, até Jill Stein ter tomado esta iniciativa, acharam que uma recontagem dos votos não era necessária.

“Acreditamos que temos uma obrigação perante os 64 milhões de americanos que votaram em Hillary Clinton de participarmos nos procedimentos que decorrem para assegurar que seja feita uma contagem precisa dos votos”, concluiu o estratego.

Em comunicado, Donald Trump criticou fortemente esta iniciativa, classificando-a de ridícula. “Esta recontagem é apenas uma maneira de Jill Stein, que recebeu menos de 1% de todos os votos e que não estava sequer no boletim de voto de muitos estado, encher os seus cofres com dinheiro, muito do qual ela nunca há-de usar nesta recontagem ridícula”, escreveu Donald Trump.

Até agora, Jill Stein já angariou mais de 5 milhões de dólares (4,72 milhões de euros) para financiar os esforços associados a uma recontagem dos votos apenas no estado do Wisconsin.

O estado do Wisconsin tem 10 votos no Colégio Eleitoral, que ao todo conta com 538 postos. Num momento em que contagem de alguns estados ainda não está concluída, Donald Trump poderá somar 306 votos e Hillary Clinton 232.

Em 2004, o Partido Verde também pediu uma recontagem dos votos no Ohio, que decidiu a votação para o lado de George W. Bush, contra John Kerry. A recontagem foi feita e resultou numa diferença de apenas mais 300 votos a favor do candidato democrata, que ainda assim continuou a sair derrotado daquele estado.