As ações dos CTT – Correios de Portugal, cotadas na bolsa de Lisboa, abriram a cair quase 12%, para 5,32 euros, depois de a empresa emitir um alerta de que os lucros não serão tão elevados quanto se previa. Os feriados de dezembro não ajudaram, dizem os CTT. Esta foi a segunda vez que a empresa deu indicações menos otimistas sobre os resultados em 2016, o que está a pressionar a cotação da empresa e a levar a ação para mínimos históricos.

Os CTT só divulgam os resultados anuais no início de março (dia 9) mas a empresa decidiu informar o mercado de que as pistas que tinha dado sobre a expectativa de resultados não serão cumpridas. Em comunicado enviado à CMVM na sexta-feira, a empresa liderada por Francisco Lacerda indicou que houve uma quebra superior à esperada no tráfego de correio endereçado no quarto trimestre (-4,2% no ano 2016). Os feriados naquele período, recuperados pelo executivo de António Costa, levaram a que tenha havido menos três dias úteis do que no quarto trimestre, o que “originou um decréscimo de 4% a 5% nos rendimentos operacionais de 2016”.

A empresa não fez qualquer alteração no dividendo anual que será pago, o que é um atrativo para quem investe no título, mas os investidores estão a penalizar a ação por acreditarem que estes são sinais de que o negócio está a piorar. Os CTT disseram que houve “uma queda superior à esperada no tráfego de correio endereçado no quarto trimestre de 2016, com impacto relevante dos feriados naquele período (menos três dias úteis do que no quarto trimestre de 2015)”.

Em nota de análise divulgada esta manhã, os analistas do CaixaBI disseram que esta notícia é “um desenvolvimento negativo para os CTT”, já que temos “uma desempenho inferior ao anteriormente esperado para o ano de 2016, com implicações ao nível da rentabilidade”. Os analistas lembram que “esta é a segunda revisão feita pelos CTT ao seu guidance inicial para este exercício, depois de a empresa ter anunciado uma anterior revisão em agosto de 2016, no âmbito da apresentação dos resultados do segundo trimestre”.

Eis uma ilustração da empresa que ajuda a enquadrar as alterações, em concreto.

ctt

Fonte: CTT

“A empresa continua a desenvolver iniciativas com vista a mitigar a queda estrutural do tráfego de correio, apostando na excelência comercial para capturar a tendência de crescimento do Expresso & Encomendas tanto em Portugal como em Espanha”, garante a empresa, salientando que também se quer “dar continuidade ao êxito do lançamento do Banco CTT”.

Eis como evoluíram as ações dos CTT desde a cotação em bolsa, desde os 5,52 euros por ação a que foram vendidas até aos mínimos históricos desta manhã:

CTT PL Equity (CTT-Correios de P 2017-01-30 08-29-20