Rádio Observador

Empresas Públicas

Quase 50 mil receberam apoios do Estado. Saiba quem foram

O Estado concedeu subvenções públicas a quase 47.700 beneficiários, totalizando 3.760 milhões de euros, menos 620 milhões de euros e 2.245 entidades do que no ano anterior, segundo um relatório divulgado hoje pela Inspeção-Geral de Finanças.

MARIO CRUZ/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O Estado concedeu subvenções públicas a quase 47.700 beneficiários, totalizando 3.760 milhões de euros, menos 620 milhões de euros e 2.245 entidades do que no ano anterior, segundo um relatório divulgado pela Inspeção-Geral de Finanças (IGF).

De acordo com o relatório de monitorização destes apoios públicos divulgado hoje, o Estado concedeu este ano subvenções, benefícios e outros apoios financeiros a 47.694 entidades (menos do que os 49.939 beneficiários de 2014), num total de 3.760 milhões de euros (abaixo dos 4.380 milhões de euros gastos no ano anterior).

A IGF justifica “parte significativa” desta diferença nas subvenções atribuídas entre os dois anos pelo facto de o IAPMEI — Agência para a Competitividade e Inovação não ter reportado à entidade “nos moldes previstos, e diferentemente do que sucedeu no ano anterior” apoios no valor de 534 milhões de euros.

Caso se excluam os montantes atribuídos a título de garantias pessoais, de doações e cedências de património e de isenções e outros benefícios fiscais não automáticos, ou seja, situações em que não se verificou um fluxo monetário, o total reduz para 3.478 milhões de euros, o que representa 4% da despesa consolidada do Estado e cerca de 2% do Produto Interno Bruto (PIB) previsto para 2015″, afirma a entidade liderada por Vítor Braz.

Por tipologia de subvenções e benefícios públicos, mantêm-se como predominantes em 2015, à semelhança de anos anteriores, as transferências correntes e de capital (2.451 milhões de euros), seguidas dos apoios de natureza comunitária (618 milhões de euros).

  • A companhia aérea SATA foi a maior beneficiária de transferências correntes e de capital do Estado em 2015, tendo recebido 31,8 milhões de euros, seguido do grupo de escolas privadas GPS, que recebeu 25 milhões de euros, e, em terceiro lugar, a Cruz Vermelha Portugal, que recebeu 15,1 milhões de euros.
  • A Escola Nacional de Bombeiros (que recebe 14,5 milhões de euros), as entidades de ensino particular Grupo Salesianos (10,6 milhões de euros) e a Associação de Jardins Escola João de Deus (9,9 milhões de euros) também estão entre os seis que mais beneficiaram de subvenções públicas em 2015.
  • No que diz respeito à atribuição de apoios comunitários, os Serviços Municipalizados de Água, Saneamento e Piscinas de Viseu foram os que mais receberam (16,1 milhões de euros), seguidos das Águas do Alentejo (9,8 milhões de euros) e das Águas do Noroeste (8,6 milhões de euros).
  • Já na categoria ‘outros apoios e benefícios’ (que inclui, entre outros, subsídios na área do desemprego, desporto, financiamento de deslocações aéreas e bonificação de juros), a Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural (EGEAC) foi a que mais recebeu (8,7 milhões), seguida da ATEC — Associação de Formação para a Indústria (7,3 milhões de euros), do Club Sport Marítimo (6,1 milhões de euros) e da Caixa Geral de Depósitos (4,7 milhões de euros).

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)