Numa altura em que todos os concorrentes no mercado dos automóveis eléctricos correm atrás de maiores autonomias, apostando num evoluir constante da capacidade das baterias, a Kia poderá vir a seguir os passos de fabricantes como a Renault ou a Nissan, e lançar uma versão mais potente das baterias que utiliza no Soul EV. E que, segundo avança o Kia World – que terá tido acesso a documentos internos do construtor sul-coreano –, permitirá ao modelo aumentar a sua autonomia, de acordo com o ciclo NEDC, dos actuais 212 km para cerca de 250 km/h.

De acordo com esses mesmos documentos, o aumento da autonomia será conseguido com a troca do actual pack de baterias de polímeros de iões de lítio de 27 kWh, por um outro, com uma capacidade de 30 kWh. Mas que, apesar de garantir maior autonomia, continuará a oferecer a mesma potência e binário: 81,4 kW, sinónimo de 109 cv, e 285 Nm.

Interpretados segundo o sistema de medição em vigor na Coreia do Sul, estes dados confirmam igualmente um aumento de autonomia dos actuais 148 km para 180 km, ao passo que, nos EUA, onde a Agência de Protecção Ambiental dos EUA atribui ao Soul EV uma autonomia de 150 km, este valor deverá passar para os 182 km.

A confirmar-se, esta será a maior evolução técnica promovida no modelo que, já em 2016, recebeu pequenas alterações de equipamento, das quais fez parte um upgrade do sistema de infoentretenimento, que passou a ser compatível tanto com Apple CarPlay, como com Android Auto.

No entanto, mesmo que esta evolução se confirme, a verdade é que o Kia Soul continuará distante dos principais rivais. O Nissan Leaf, por exemplo, anuncia já para 2018 uma nova versão com capacidade para fazer 500 km com uma única carga de bateria. E a mais recente geração do Renault Zoe reclama 400 km de autonomia. Aliás, mesmo o mais recente crossover eléctrico da marca sul-coreana, o Niro EV, anuncia já performances melhores que as do actual Soul EV, com uma autonomia de 200 km, a par de um motor eléctrico capaz de debitar 118 cv e 291 Nm de binário.