Dada a conhecer através de um protótipo de superdesportivo denominado EP9, a que seguiu um hachback chamado Eve Concept, ambos 100% eléctricos, a startup chinesa Nio deu mais um passo na prossecução dos seus objectivos. Tudo porque o gigante chinês da tecnologia Baidu, que tem vindo a investir na área tecnológica, terá sido um dos principais investidores na recolha de fundos levada a cabo pela Nio, como forma de conseguir dar continuidade ao desenvolvimento dos seus futuros modelos.

“Podemos confirmar que a Baidu participou nesta ronda de investimento”, anunciou, em comunicado enviado à Reuters, a startup chinesa. Sendo que, embora o gigante chinês não tenha revelado o valor concreto do investimento feito, rumores avançam que a Nio terá conseguido suplantar os 600 milhões de dólares (cerca de 552 milhões de euros) inicialmente definidos como objectivo.

Recorde-se que a Nio já contava, na sua base, com um forte apoio financeiro chinês, proveniente tanto de investidores empresariais como a Tencent, como de empreendedores como William Li, da Biauto.

Entre os produtos já apresentados pela startup está um superdesportivo com 1.360 cv de potência, denominado EP9, que reivindica desde já o título de automóvel eléctrico mais rápido em Nürburgring, com um tempo por volta de 7m05,12s. Assim como o de automóvel autónomo mais rápido a cumprir uma volta ao Circuito das Américas, em Austin, EUA, com o tempo de 2m11,30s.

Mais recentemente, a companhia deu a conhecer o concept Eve, hatchback eléctrico para o qual a Nio prevê maiores volumes de vendas, também pela inovação que encerra. A começar, nos bancos dianteiros deslizantes, um tecto totalmente em vidro e uma suposta capacidade plena de condução autónoma. Mas dados oficiais sobre as performances do Eve não foram ainda divulgados.

Garantido um suporte financeiro de mais de 600 milhões de dólares, a Nio espera agora conseguir lançar o seu hatchback eléctrico no mercado em 2020, inclusive, em mercados estrangeiros como os EUA.