António Costa concedeu tolerância de ponto aos funcionários públicos no dia 12 de maio, dia em que o papa Francisco chegou a Portugal. Várias crianças ficaram sem escola. Por consequência, muitos pais que não são funcionários públicos e, por isso, tiveram de trabalhar, ficaram sem alguém que tomasse conta dos filhos. Um deles foi João Miguel Tavares que decidiu escrever a sua crónica no jornal Público em jeito de carta ao primeiro-ministro, sugerindo-lhe que ficasse com os seus filhos:

As tolerâncias de ponto não me assistem. Já os meus filhos, pelo contrário, frequentam escolas públicas. Desta confluência de factos resulta que eu vou ter de trabalhar na sexta-feira enquanto as minhas crianças não vão ter aulas, não têm ninguém para ficar com elas em casa, e ainda são muito novas para irem peregrinar sozinhas em direção a Ourém”.

A seguir vinha o pedido:

Nesse sentido, e porque sei da sua infatigável disponibilidade para resolver todos os problemas dos portugueses, em geral, e dos lesados pelas tolerâncias de ponto, em particular, agradecia muito que me indicasse para o mail que encontra no final deste texto, ou para um número de telemóvel que os serviços secretos certamente lhe disponibilizarão, qual seria a melhor porta do Palácio de São Bento para eu largar os meus filhos nessa sexta-feira. Asseguro a Vossa Excelência que só terá de tomar conta deles durante o horário de expediente. Às cinco e meia, seis horas o mais que tardar, se houver muito trânsito, passaria por aí a buscá-los”.

O primeiro-ministro assim fez e enviou um email ao cronista a dizer que tomava conta das quatro crianças de quatro, nove, 11 e 13 anos, durante o período da manhã, já que durante a tarde estaria a receber o papa Francisco.

João Miguel Tavares não duvidou do email recebido. “Acredito totalmente na palavra do primeiro-ministro”, disse ao Observador. De tal forma que, não só deixou os filhos com António Costa, como partilhou uma fotografia do momento na sua página do Facebook.

Dia 12. Tolerância de ponto. A palavra dada foi palavra honrada.

Posted by João Miguel Tavares on Friday, 12 May 2017

Na impossibilidade de tomar conta dos filhos, o cronista não teve outra solução e, na manhã desta sexta-feira deixou os filhos no Palácio de São Bento, com o primeiro-ministro.

Confiei totalmente. O primeiro-ministro está muito bem acompanhado. Para além disso, tem muito sentido de humor”, contou João Miguel Tavares ao Observador.

João Miguel Tavares esteve a trabalhar o dia todo e ainda não esteve com os filhos esta sexta-feira, pelo que ainda não obteve nenhum feedback deles. Ainda assim não duvida que “devem ter gostado”, muito por causa do “sentido de humor” de António Costa.