A Polícia Judiciária de Leira deteve esta quarta-feira em Fátima Maurizio Tramonte, um italiano autor do atentado terrorista na cidade de Brescia, em Itália, a 28 de maio de 1974. A detenção aconteceu um dia depois de o homem ter sido condenado definitivamente a prisão perpétua, pela Corte di Appello de Milão. A informação foi confirmada pela imprensa italiana e num comunicado da Polícia Judiciária.

Tramonte tinha sido condenado a prisão perpétua pelo Supremo Tribunal italiano depois de ter sido coautor de uma explosão de uma bomba na Piazza della Loggia em Brescia durante uma manifestação anti-fascista. Oito pessoas e outras 100 ficaram feridas na sequência da explosão.

A identidade dos dois autores do atentado, Maurizio Tramonte e Carlo Maria Maggi, só foi revelada esta terça-feira, quando o Corte di Appello de Milão os declarou culpados. Maurizio Tramonte pertencia à organização neofascista Ordine Nuovo.

O terrorista já estava a ser julgado quando fugiu do país. Ao longo de diferentes fases do processo, o detido saiu de Itália várias vezes, conta a imprensa italiana. O homem estava a ser procurado pelas autoridades italianas para cumprimento de pena de prisão perpétua.

O homem tem agora 64 anos e estaria em Portugal há poucos dias. O detido vai agora estar presente no Tribunal da Relação de Évora para um primeiro interrogatório judicial e eventual aplicação de medidas de coação com vista a entrega posterior às autoridades italianas.

Também Carlo Maria Maggi de 85 anos foi detida e condenada a prisão perpétua. O advogado de Maggi informou que a sua cliente “está muito doente, uma situação incompatível com a prisão” pelo que está a cumprir prisão domiciliar na sua casa em Veneza, no nordeste de Itália. Era médica e inspetora no movimento Ordine Nuovo.