O número de desempregados inscritos nos centros de emprego voltou a baixar em maio, 19,2%, face a igual mês de 2016, totalizando 432.274 pessoas, segundo dados divulgados esta quarta-feira pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP).

De acordo com o IEFP, em relação ao mês anterior, o número de desempregados registados diminuiu 4,1%, o que representa menos 18.687 pessoas. A redução homóloga de 19,2% em maio (correspondente a 102.684 pessoas), segue-se à descida homóloga de 19,9% registada em abril, que tinha sido a maior quebra homóloga desde que há registo (1989) e colocou o desemprego registado ao nível de janeiro de 2009.

Para a diminuição do desemprego registado, face ao mês homólogo de 2016, contribuíram todos os grupos do ficheiro de desempregados, com destaque para as reduções observadas nos homens (21,3%), os adultos com idades iguais ou superiores a 25 anos (18,3%), os inscritos há menos de um ano (22,8%), os que procuravam novo emprego (19,0%) e os que possuem como habilitação escolar o secundário (22,1%).

Segundo o IEFP, o desemprego afetava em maio 47,3 mil jovens, o que representa uma redução homóloga de 26% (menos 16,6 mil jovens) e uma redução mensal de 6,6% (menos 3,3 mil jovens). Já o número de desempregados de longa duração foi de 218,8 mil no mês de maio, diminuindo 15,4% em relação ao mês homólogo (menos 39,7 mil pessoas) e 2,2% em termos mensais (menos 4,8 mil pessoas).

A nível regional, comparando com o mês de maio de 2016, o desemprego diminuiu em todas as regiões do país, destacando-se o Algarve e o Alentejo com as descidas percentuais mais acentuadas, respetivamente 30,8% e 23,2%. Em relação ao mês anterior, o desemprego diminuiu em todas as regiões do país, destacando-se o Algarve com a descida percentual mais elevada, 21,3%.

Número de casais inscritos também diminuiu

O número de casais em que ambos os cônjuges estão inscritos como desempregados desceu 17,6% em maio em termos homólogos e 4,9% face a abril, para 9.495, foi divulgado esta quarta-feira.

De acordo com a informação disponível na página do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), em maio, do total de desempregados casados ou em união de facto, 18.990 (10,3%) têm também registo de que o seu cônjuge está igualmente inscrito como desempregado no serviço de emprego.

Assim, no final de maio, o número de casais em que ambos os cônjuges estão registados como desempregados era de 9.495, menos 17,6% (o equivalente a 2.030 casais) do que no mês homólogo e menos 4,9% (487 casais) do que no mês anterior. No final de maio, estavam registados nos Serviços de Emprego do Continente 404.470 desempregados, dos quais 45,5% eram casados ou viviam em situação de união de facto, perfazendo um total de 183.847.