Jorge Jesus parece ter uma atração especial por avançados que fizeram a vida “negra” ao Sporting. Um deles acabou por ser muito falado sem efeito (Óscar Cardozo), mas depois de ter contratado o “carrasco” dos leões na Liga Europa de 2014/15 (Bas Dost), o clube prepara-se para anunciar o acordo com Seydou Doumbia, avançado que foi vital na primeira derrota do técnico em Alvalade, frente ao CSKA Moscovo, no playoff de acesso à Champions de 2015/16.

No entanto, o dianteiro marfinense, que tem na velocidade um dos maiores argumentos como jogador, acabou por ser demasiado rápido a anunciar o acordo com o Sporting na sua página oficial no Instagram, antecipando-se ao próprio clube no acordo que ficou fechado esta manhã nos escritórios da SAD verde e branca, em Alvalade.

https://www.instagram.com/p/BV9uY2TgNYk/?taken-by=doumbia.seydou&hl=en

Expliquemos como funciona a “dinâmica” da contratação de um jogador estrangeiro, neste caso do Sporting mas aplicável aos restantes clubes, Benfica e FC Porto incluídos. Logo quando aterra em Lisboa, por norma com o agente e/ou familiares, o jogador tem à sua espera responsáveis do clube para o receberem e encaminharem para o destino seguinte, que pode ser o hotel, caso seja muito tarde, ou para Alvalade.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O passe seguinte são os exames médicos, que costumam ser divididos entre dois locais distintos. Enquanto se confirma que está tudo bem com a condição física do atleta (que já antes foi analisada, pedindo à equipa anterior exames de outros anos ou, em alguns casos, através de contactos diretos com pessoas conhecidas de confiança), mostra-se as instalações e passa-se para o gabinete de reuniões, onde são discutidos pormenores de última hora.

Neste caso, o acordo com a Roma já estava fechado, pelo que havia apenas por fechar o contrato com o internacional da Costa do Marfim. Assim que é assinado o vínculo, o jogador faz as primeiras declarações aos órgãos oficiais do clube e, de seguida, há o anúncio oficial do acordo (muitas vezes sem o valor da transferência, apenas com os anos de ligação e a cláusula de rescisão). Mas então, o que aconteceu de diferente com Doumbia?

A tal antecipação no anúncio do acordo. Provavelmente, o que terá ocorrido é que alguém que acompanha o dianteiro em Alvalade terá tirado a fotografia de Doumbia com a camisola e o cachecol do Sporting e tornou pública a imagem antes de ter sido feito o comunicado oficial da contratação (que deverá ser a título definitivo). Para alegria dos adeptos leoninos, que começaram a partilhar em vários grupos de apoio, e para deceção dos fãs do Fenerbahçe, que espalharam a fotografia como forma de mostrar que os turcos tinham falhado o alvo para o ataque.

Uma hora depois, através das contas oficiais no Twitter, o Sporting e a Roma anunciaram o acordo.

Da Costa do Marfim à Europa, passando também pelo Japão

Aos 29 anos, Doumbia é quase um globetrotter do futebol, com passagens por várias equipas e campeonatos.

Nascido no seio de uma família humilde, Doumbia chegou a ajudar a família na venda de lenços quando era miúdo e jogava no Centro de Formação do Inter. Assinou com 16 anos pelo Athlétic d’Adjamé, sendo cedido a Toumodi, ASEC Mimosas e AS Denguélé, onde se sagrou o melhor marcador do Campeonato da Costa do Marfim e despertou o interesse dos japoneses do Kashiwa Reysol, para onde se mudou em 2006.

Dois anos depois, e com um empréstimo ao Tokushima Vortis, fez a escolha que seria a mais certeira possível na carreira aos 21 anos: assinou pelos suíços do Young Boys, onde conseguiu 57 golos em 78 jogos. Era o avançado da moda em 2010, ano em que marcou presença no Mundial (foi suplente contra Portugal mas participou na vitória por 3-0 frente à Coreia do Norte), e chegou em janeiro desse ano ao CSKA Moscovo por 15 milhões de euros.

Foi na Rússia que se acabou por fixar até sair em 2015 para a Roma, por cerca de 15 milhões de euros. Contrabalançou entre épocas mais conseguidas e uma com menos jogos, mas acabou por deixar Moscovo com 84 golos em 129 partidas realizadas. A adaptação a Itália não correria da melhor forma (dois golos em 14 encontros em 2014715), sendo emprestado em anos consecutivos a CSKA Moscovo, Newcastle e Basileia, onde apontou 21 golos em 33 partidas na derradeira temporada. Segue-se a Primeira Liga e o Sporting.

“É um prazer enorme ter chegado a este grande clube. Estou super feliz porque cheguei há poucos dias e fui muito bem acolhido por toda a gente e isso, até agora, tem sido o mais importante. Promessas? Não quero criar falsas expetativas mas não vim para passar férias e vou preparar-me da melhor maneira nesta pré-época e depois disso logo se verá. Já joguei em Alvalade há dois anos e recordo-me bem do ambiente que se viveu nas bancadas. Será um prazer agora sentir esse apoio, pois deu para perceber como é a vida entre a equipa e os adeptos. Algo de verdadeiramente extraordinário. Só espero que continue assim”, disse ao Jornal Sporting.

Os leões anunciaram que o jogador chega por empréstimo da Roma por uma época mas, de acordo com o jornal O Jogo, existem cláusulas de objetivos baixas para o que é normal, o que faz com que a opção de compra de três milhões de euros no final da época seja quase uma inevitabilidade. Doumbia, que deverá ter um ordenado de cerca de 1,5 milhões de euros líquidos por ano, é o sexto reforço confirmado pelo clube, depois de André Pinto, Piccini, Mattheus Oliveira, Battaglia e Bruno Fernandes. Fábio Coentrão poderá ser a próxima cara nova.