O regime norte-coreano avisou esta quarta-feira que o modelo balístico que pôs à prova esta semana pode transportar uma grande ogiva nuclear, segundo a Korean Central News Agency (NCKA). “O último lançamento foi para testar o novo míssil intercontinental com a capacidade de carregar uma ogiva nuclear”, dizia a nota. O texto aponta ainda que o próprio Kim Jong-Un refere-se ao armamento como um “presente do Dia da Independência” para os americanos.

Em reação ao recente lançamento de míssil, Rex Tillerson, secretário de Estado dos Estados Unidos da América (EUA), apelou à necessidade de uma “ação global” em resposta ao desenvolvimento do programa nuclear da Coreia do Norte. Tillerson afirmou em comunicado, esta terça-feira, que o lançamento do míssil balístico de Pyongyang representa uma “ameaça global”.

Os EUA “condenam fortemente o lançamento de um míssil balístico intercontinental realizado pela Coreia do Norte”, disse o secretário de Estado, alertando que o teste representa “uma nova escala” de ameaça para o mundo. Tillerson sublinhou que “todas as nações devem demonstrar publicamente à Coreia do Norte que há consequências da sua busca por armas nucleares”.

Míssil da Coreia do Norte foi uma prenda para os “sacanas dos americanos”

Rex Tillerson afirmou ainda que existe “a intenção de levar esta provocação, feita pela Coreia do Norte, ao Conselho de Segurança da ONU e adotar medidas mais fortes para responsabilizar o regime norte-coreano”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Pyongyang tinha anunciado na véspera, através da televisão estatal, um teste bem sucedido de um míssil balístico intercontinental “capaz de atingir qualquer lugar do mundo”. A Coreia tem vindo a fazer vários testes de lançamento de mísseis nos últimos meses, sendo que o último ocorreu no dia 8 de junho, no qual foram lançados quatro mísseis anti-navio.