Rádio Observador

Estilo de Vida

Qual é o mal de ter a máquina de lavar a roupa na cozinha?

173

Uma apresentadora britânica disse ser "nojento" ter a máquina de lavar a roupa na cozinha. O comentário gerou polémica e levantou dúvidas: há problema em lavar a roupa onde cozinhamos?

A afirmação polémica surgiu em resposta a um comentário de um jornalista sobre como os americanos acham estranho que os britânicos tenham as máquinas de lavar a roupa na cozinha.

iStockphoto/Armastas

“É nojento, o trabalho da minha vida é, em parte, dedicado a tirar as máquinas de lavar a roupa da cozinha.” A declaração é de Kirstie Allsopp, apresentadora de televisão britânica, conhecida pelo programa “Location, Location, Location”, onde vai à procura de casas para diferentes compradores. A frase acima citada, em resposta a um comentário de um jornalista sobre como os americanos acham estranho que os britânicos tenham as ditas máquinas na cozinha, criou uma onda de indignação na rede social Twitter.

A apresentadora sugeriu, quando confrontada com o facto de haver casas sem espaço extra, que as máquinas fossem colocadas nas casas de banho ou numa espécie de despensa. Mas dada a revolta entretanto gerada, Allsopp acabaria por admitir que estava apenas a brincar. Num artigo de opinião publicado no The Guardian, escreve que os britânicos não têm sentido de humor e refere também que sempre achou “estranha” a combinação de preparar a comida e de lavar roupa na cozinha.

Mas há, afinal, algum problema em ter a máquina de lavar a roupa no mesmo local onde cozinhamos? Shannon Lush, tida como uma “guru das limpezas”, foi uma das pessoas que respondeu a essa questão. Ao News.com.au disse que não há nada de “nojento” em relação a isso e que também não há questões de higiene a salientar, a não ser que se use lixívia e sabão em excesso para lavar a roupa.

“Desde que a cozinha esteja limpa, bem como a máquina, está tudo bem. O único problema que vejo é caso não haja a ventilação apropriada”, continua Shannon Lush. “Quando usamos demasiado sabão ou lixívia convém ter a máquina de lavar perto de uma janela aberta, caso contrário há a possibilidade de contaminar a nossa comida.”

Contactados pelo Observador, os autores do livro Uma casa mais saudável, uma família mais feliz insistem que não há problema quanto a questões higiénicas, destacando “fatores mais preocupantes”. Marcelina Guimarães e Miguel Fernandes, que detêm ainda a empresa Habitat Saudável, explicam que ter uma máquina de lavar (seja a da loiça ou a da roupa) numa parede contígua à cabeceira da cama a funcionar durante a noite “pode interferir diretamente com o sono e o equilíbrio biológico da pessoa”, uma vez que esse é o “período biológico de maior fragilidade do ser humano”. Em causa pode estar, então, uma “contaminação eletromagnética”.

“Diríamos que é aconselhável uma lavandaria exterior à cozinha, caso haja a possibilidade”, dizem os escritores, até por uma questão prática e funcional. “Falta de higiene? Só se for a utilização excessiva de detergentes ou de materiais de limpeza que tenham carga nociva mas, hoje em dia, já existem no mercado opções alternativas e ainda receitas de detergentes caseiros.”

E como nunca é demais lembrar, os autores garantem que uma boa ventilação e iluminação, bem como a criação de áreas distintas num mesmo espaço — considerando a zona das refeições e das máquinas, tendo sempre em conta os campos elétricos e eletromagnéticos — são algumas das dicas para a manutenção de uma cozinha mais saudável.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: acmarques@observador.pt
Estilo de Vida

Um vício anacrónico

Rui Martins

Num padrão de vida urbano, com uma saída de fim-de-semana por mês e trabalhando e vivendo em Lisboa, ter carro e não o substituir pelo transporte público ou mobilidade partilhada é um vício anacrónico.

Maternidade

Como dói um sonho quando morre /premium

Eduardo Sá

Arrasta-se para o carro. Chora, finalmente. Grita. Geme. Não acredita que nada daquilo esteja a acontecer. E confronta-se com o absurdo de ter um útero a servir de urna quando, antes, ele era só o céu

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)