Os rumores de que o Twitter estava, finalmente, a crescer em número de utilizadores (após um bom primeiro trimestre) foram manifestamente exagerados. A empresa dona da rede social informou esta quinta-feira que teve um crescimento nulo de utilizadores no segundo trimestre, depois dos nove milhões de novos utilizadores adicionados nos primeiros três meses do ano (altura que coincidiu com a tomada de posse de Donald Trump na Casa Branca). As ações preparam-se para abrir em forte queda.

As ações do Twitter estão a ressentir-se da deceção com que os números trimestrais foram recebidos entre os analistas. Segundo a Bloomberg, os títulos vão abrir a cair cerca de 9,5%, de acordo com os preços do chamado pré-mercado.

A empresa até conseguiu superar as expectativas do mercado ao nível das receitas, que ascenderam a 574 milhões de dólares (os analistas previam, em média, 537 milhões). Além disso, o Twitter sublinhou que, apesar de não ter havido crescimento dos utilizadores, os utilizadores existentes são mais ativos.

Quando se fala em crescimento nulo de utilizadores usa-se o critério habitual das redes sociais — os utilizadores mensais ativos, que vão à rede social pelo menos uma vez por mês. Mas o Twitter garante que tem mais 12% de utilizadores ativos diários, em comparação com o mesmo período do ano passado, mas não existem números concretos.

Quanto aos utilizadores mensais únicos, depois do crescimento líquido de nove milhões no primeiro trimestre, os analistas previam um crescimento de quatro milhões. Mas acabou não haver qualquer crescimento na popularidade da rede social, o que ainda se tornou um contraste mais impressionante porque o Facebook continuou a subir em utilizadores, atingindo a marca dos dois mil milhões. As vendas do Facebook superaram as expectativas dos analistas, com um crescimento de 45% para 9,32 mil milhões de dólares.