A gama de produtos gregos — iogurtes, almôndegas, queijos, etc — já existe há vários anos nas lojas Lidl, mas a polémica só agora estalou, depois de mais um refresh nas embalagens. Para a nova imagem da linha Eridanous, os responsáveis pela cadeia alemã escolheram uma fotografia da igreja ortodoxa Anastasi, um dos mais famosos “postais” da ilha grega de Santorini. Problema: resolveram apagar em Photoshop as cruzes no cimo das cúpulas azuis do edifício.

Estamos a evitar o uso de símbolos religiosos, porque não queremos excluir nenhuma crença religiosa. Somos uma empresa que respeita a diversidade, daí o design dessas embalagens”, terá explicado um porta-voz da empresa na Bélgica a uma estação de rádio local.

Nas redes sociais, na Bélgica, na Alemanha, no Reino Unido e na Grécia, as críticas choveram de imediato, com uma série de utilizadores a questionar a decisão da empresa. “Se fossem produtos de países muçulmanos, hindus, judeus ou sikhs, com os respetivos símbolos representados nas embalagens, não teria qualquer problema em comprá-los”, garantiu um utilizador.

https://twitter.com/OnlineMagazin/status/903902589363904512

“Como cristão sinto-me realmente magoado, discriminado, chateado e desapontado pelo facto de terem feito isto. Não vou voltar a fazer compras na vossa loja”, assegurou outro.

Vários fizeram referência à dualidade de critérios da cadeia de supermercados, que terá também uma linha de produtos Halal, com minaretes desenhados nas embalagens.

“Vendemos a nossa gama de produtos próprios Eridanous nas lojas Lidl de toda a Europa há mais de dez anos e nesse tempo o design das embalagens já sofreu uma série de alterações. Lamentamos profundamente qualquer ofensa causada pela imagem mais recente e gostaríamos de assegurar aos nossos clientes que o aconteceu não foi intencional. Posto isto, garantimos que todos os reparos que nos chegaram vão ser tidos em consideração aquando da reformulação de futuras embalagens”, justificou mais tarde um porta-voz da cadeia de supermercados alemã no Reino Unido ao Mirror Online.

O arcebispo grego ortodoxo do Reino Unido também se juntou ao coro de críticas e exigiu à empresa que voltasse a colocar a cruz nas embalagens: “Eles atingiram todos os cristãos — não apenas os gregos, já que a igreja é grega. Espero que muitos mais se manifestem contra esta estúpida decisão”.