A NRA (National Rifle Association, o maior grupo de lóbi pró-armas dos EUA) pediu esta quinta-feira ao governo norte-americano maior controlo sobre os bump stocks, pequenos dispositivos que servem para converter uma arma semiautomática numa automática, permitindo que a arma dispare centenas de munições por minuto.

O The New York Times escreve que esta tomada de posição por parte da NRA é rara, já que se trata de “um grupo que durante anos se opôs veementemente a mais controlo ao armamento”.

O comunicado da NRA surge na sequência do tiroteio em Las Vegas, onde morreram 58 pessoas. Isto porque Stephen Paddock, o atirador que levou a cabo o ataque, tinha dezenas de espingardas na sua posse, 12 das quais equipadas com bump stocks, permitindo-lhe usá-las como se se tratassem de metralhadoras.

Os bump stocks são pequenos dispositivos que têm gerado muita controvérsia. Os opositores à utilização de armas têm pedido repetidamente que o equipamento seja banido do mercado, mas a entidade federal que regula o álcool, tabaco, armas de fogo e explosivos considera que estes dispositivos não violam a lei que limita a posse de armas automáticas (muito mais apertada do que para as armas semiautomáticas).

A NRA vem agora pedir que o governo “reveja imediatamente se estes dispositivos estão de acordo com a lei federal”. “A NRA acredita que dispositivos desenhados para permitir que espingardas semiautomáticas funcionem como armas automáticas devem ser sujeitas a regulações adicionais”, lê-se no comunicado do grupo.

Esta tomada de posição por parte da NRA, grupo que defende a posse de armas por parte dos norte-americanos, poderá significar um primeiro passo, ainda que pequeno, na maior regulação do armamento nos EUA.