Frederica Wilson, membro da Câmara dos Representantes do Congresso norte-americano, juntou outro episódio polémico à lista que Donald Trump já coleciona. Wilson acusou o presidente dos Estados Unidos de, ao telemóvel com a viúva de um soldado que morreu em combate, ter dito “ele sabia ao que ia mas acho que custa na mesma”.

A congressista democrata afirmou que estava presente no momento da chamada, já que estava num carro com a família enlutada e a viúva colocou o telemóvel em alta voz. O sargento La David Johnson foi um dos quatro soldados americanos que morreram numa emboscada no Níger, a 4 de outubro.

Foi isto que se destacou no coração de toda a gente. Não se diz isso. Ele é o presidente dos Estados Unidos. É um soldado que deu a vida pelo seu país. É um herói nas nossas mentes, nas mentes da comunidade. Isto é um insulto a toda a comunidade de Miami Gardens e a toda a nação. E espero que ele não tenha dito isto às outras três famílias”, disse Frederica Wilson à rádio WPLG.

Entretanto, Donald Trump já negou qualquer afirmação deste género, através do Twitter, e referiu que tem provas de que está a dizer a verdade.

Em resposta, Frederica Wilson esteve no programa “New Day”, da CNN, e garantiu que “também tem provas”. “Este homem é doente”, atira a congressista, antes de revelar que a viúva do soldado “colapsou” depois da chamada e que Trump “nem sequer sabia o nome dele [do soldado]”.

Antes de toda a polémica, na segunda-feira, Donald Trump recordou os quatro soldados e disse que “se sentiu muito muito mal”. “Sinto-me sempre mal. Estas são as chamadas que mais me custa fazer, quando isto acontece, quando morrem soldados”, afirmou o presidente dos Estados Unidos.