A secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, disse esta quinta-feira em Macau que terá várias reuniões na cidade, nomeadamente para promover a ida de estagiários para Portugal, para ajudar a hotelaria a capacitar-se para receber turistas deste mercado.

“Vou ter encontros com investidores de Macau, vou ter reuniões com o instituto de formação [para Macau] para dinamizarmos o intercâmbio de alunos e de estagiários numa lógica de levarmos estagiários de Macau para os hotéis portugueses que, neste momento, querem receber chineses”, disse Ana Mendes Godinho à margem do 43.º Congresso da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), que começou esta quinta-feira em Macau.

Medidas que permitirão ajudar “também a capacitar” a oferta hoteleira portuguesa “para estar preparada para receber melhor o mercado chinês”, acrescentou.

“Os estágios, por exemplo, são para o que antecipamos de crescimento, queremos que continue a crescer ainda mais”, assegurou Ana Mendes Godinho.

A governante diz não ter dúvidas de que “o mercado chinês é um mercado de futuro”, tal como o indiano. Daí que, “temos que estar presentes e garantir que temos a capacitação da nossa oferta para saber receber os chineses”.

Antes, a secretária de Estado do Turismo já tinha dito que o número de hóspedes chineses em Portugal cresceu 40% para 191 mil nos primeiros nove meses do ano, face ao período homólogo, acrescentando que o ritmo é para manter.

Quando questionada sobre perspetivas de novas ligações para a Ásia, Ana Mendes Godinho afirmou que este ano já se conseguiu “uma vitória histórica, que foi conseguir um voo direto entre Lisboa e Pequim”, uma “conquista enorme”, que teve uma “demonstração clara do crescimento do mercado chinês” em Portugal.

“Neste momento, há um crescimento histórico. De janeiro a setembro recebemos cerca de 191 mil hóspedes chineses, mais 40% do que no período homólogo”, afirmou aos jornalistas, à margem da sessão inaugural da reunião magna dos agentes de viagens portugueses.

A secretária de Estado do Turismo disse que no ano passado este crescimento tinha sido de 18%.

Quando questionada sobre objetivo agora, afirmou: “É manter este nível deste ano, que é um valor fantástico”.

Sobre o que procuram os turistas chineses em Portugal, a governante afirmou que “procuram história, cultura, gastronomia, segurança e experiências diferentes”.

“Ou seja, cada vez mais, estamos a promover também o destino Península Ibérica, fazendo uma promoção conjunta, passando a mensagem de que indo à Península Ibérica têm oportunidade de conhecer dois países completamente diferentes, com experiências completamente diferentes e com a vantagem acrescida que é o voo direto, que permite que entrem ou saiam via Portugal”, acrescentou.

E sobre este voo direto, sublinhou ainda que este “muda completamente o paradigma da operação”, porque Portugal deixa de “estar completamente dependente da entrada e saída dos aeroportos em Espanha”.

“As operações podem ser feitas de uma forma muito mais equilibrada com a divisão entre os dias em Portugal em Espanha”, concluiu.

O Congresso Nacional da APAVT começou esta quinta-feira em Macau, contando com mais de 700 congressistas, 650 dos quais, segundo fonte oficial da APAVT, são portugueses.

Este número de congressistas é “a maior afluência dos últimos 20 anos, tendo ultrapassado todas as expectativas”, disse a mesma fonte à Lusa, o que obrigou pela primeira vez na história da associação a suspender inscrições.