Rádio Observador

Energia

António Costa: Portugal e Marrocos com interconexão elétrica fará baixar fatura da energia

O primeiro-ministro está na Cimeira Luso-Marroquina, que tem como tema central a criação de uma interconexão elétrica entre os dois países. A ligação vai baixar o valor da fatura energética.

TIAGO PETINGA/LUSA

O primeiro-ministro cumpre esta terça-feira, em Rabat, o segundo e último dia da 13 Cimeira Luso-Marroquina, tendo como tema central o projeto de construção de um cabo para interconexão elétrica, com 220 quilómetros, entre os dois países.

“O principal desafio que temos é o de estabelecermos a interconexão elétrica. É uma oportunidade para podermos de uma modo sustentável contribuir para baixar e termos uma melhor fatura energética”, sustentou António Costa, no final do primeiro dia de cimeira.

Este projeto de investimento para a construção do cabo de interligação elétrica deve arrancar no primeiro semestre de 2018 e está avaliado entre 500 e 700 milhões de euros, tendo como modelo técnico e financeiro o esquema de operação usado na ligação edificada entre a Holanda e o Reino Unido, que custou cerca de 600 milhões de euros.

No plano técnico, o cabo de interligação elétrica permitirá a Portugal vender energia a Marrocos em alguns momentos de um determinado dia e, eventualmente, comprar em outras alturas desse mesmo dia. O transporte de energia far-se-á nos dois sentidos”, completou o mesmo responsável. De acordo com os estudos, que se encontram em fase de conclusão, o cabo deverá ligar a zona de Tavira, no Algarve, à cidade marroquina de Tânger.

Ainda segundo António Costa, com a conclusão do cabo de interligação elétrica, “será reforçada a segurança do abastecimento energético dos dois países, através de uma maior diversificação das fontes de energia”.

“A partir de agora é uma responsabilidade dos dois governos criarem o quadro necessário para que surjam os investimentos para a concretização desta obra. Esta é uma das prioridades das relações com Marrocos nos próximos anos”, sustentou o primeiro-ministro.

No que respeita ao quadro global de relações económicas entre Portugal e Marrocos, o primeiro-ministro salientou a existência de mais de três centenas de empresas portuguesas com investimentos neste país.

“As exportações para Marrocos têm vindo a subir significativamente e há também investimentos marroquinos em Portugal. Há ainda a possibilidade de empresas marroquinas e portuguesas trabalharem em conjunto em vários países africanos onde estão presentes”, acentuou António Costa.

A agenda desta terça-feira de António Costa em Rabat será quase totalmente dedicada à cooperação económica, começando o dia com um pequeno-almoço com empresários portugueses.

Logo depois, o primeiro-ministro português fará uma intervenção na abertura do fórum empresarial luso-marroquino.

A reunião plenária entre os dois governos terá início a meio da manhã, tendo uma duração de cerca de uma hora, finda a qual está prevista a assinatura de acordos bilaterais.

Antes de regressar a Lisboa, António Costa marcará ainda presença num almoço empresarial, que decorrerá na sede do Tesouro Geral do Reino de Marrocos.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)