PSD

Eurosondagem. Santana perde para Costa, mas menos que Rio

1.040

Eurosondagem voltou a fazer estudo sobre diretas do PSD onde compara cada um dos candidatos a António Costa, na preferência dos portugueses para primeiro-ministro. Já entre os dois, há empate técnico.

JOÃO PORFÍRIO/OBSERVADOR

Entre Pedro Santana Lopes e Rui Rio, é o ex-primeiro-ministro que continua a ser o melhor posicionado, entre os inquiridos pela Eurosondagem, quando colocado no cenário de uma corrida, contra António Costa, pelo cargo de primeiro-ministro. Já quanto à liderança do partido, os dois candidatos aparecem empatados (separados para 2,2 pontos percentuais, quando a margem de erro é de 4,16%) num inquérito a 548 militantes do partido no Norte, Centro e Sul do país.

O estudo foi encomendado pela candidatura de Santana Lopes à empresa de sondagens de Rui Oliveira e Costa e mostra que, tal como em dezembro, continua a ser o antigo presidente da Câmara de Lisboa a ter um melhor desempenho contra António Costa, quando comparado com o seu rival na corrida interna do PSD. No entanto, é o socialista que continua a esmagar nessa preferência.

Quando António Costa e Santana Lopes são colocados como opções perante a pergunta “quem prefere para primeiro-ministro?”, 29,6% dos inquiridos escolhe Santana e 51,7% prefere Costa (18,7% não sabem ou não responderam). A comparação com Rui Rio não é muito diferente, embora o antigo presidente da Câmara do Porto fique ainda mais abaixo do que Santana, com 25,1% das preferências face às 51,3% de Costa (23,6% não sabem ou não responderam).

O estudo revela ainda a divisão destas intenções por sexo e aí, Santana tem um melhor desempenho entre as mulheres do que Rio. E também entre os homens, embora não com uma margem tão expressiva. São 31,5% as mulheres a preferirem Santana, quando comparado com Costa (49,9%) e 26% as mulheres que escolhem Rio face ao atual primeiro-ministro (52,1%). Já entre os homens que foram inquiridos, 27,6% preferiram o ex-primeiro-ministro e 53,6% o atual. E 24,2% optariam por Rui Rio, face aos 50,6% que preferem Costa.

Há um mês, nesta mesma comparação, Santana tinha recolhido 30,2% das preferências perante António Costa que tinha 52,7% das escolhas. Os valores descem porque em janeiro aumentou o número de pessoas que não sabiam ou não quiseram responder (em dezembro foram 17,1%). O mesmo fenómeno aconteceu quando a pergunta foi feita colocando como opções Costa e Rio. Em dezembro, Rui Rio tinha 26,9% das respostas e António Costa 51,9%. Nessa altura, foram 21,2% as pessoas que não responderam, um número que agora saltou para os 23,5%.

A primeira sondagem, divulgada no começo de novembro, demonstrava que perante o atual primeiro-ministro, Santana Lopes teria 27,5% das preferências e Rui Rio 25% — o que estava dentro da margem de erro do estudo e significava um empate técnico. António Costa nunca se posicionou abaixo dos 52% frente a qualquer dos sociais-democratas. A diferença entre Santana e Rio foi, portanto, de 2,5 pontos percentuais a favor do primeiro.

Empatados na luta interna

O estudo divulgado esta quinta-feira, dois dias antes das diretas, acrescenta ainda outra pergunta. Como as eleições do PSD estão circunscritas apenas aos militantes do partido, a Eursondagem limitou esta pergunta a militantes do PSD: “Se fossem hoje as Eleições diretas para Presidente do PPD/PSD, qual seria o seu voto?” Santana Lopes e Rui Rio aparecem empatados, com o ex-primeiro-ministro a contar 51,1% das intenções de votos e o ex-autarca do Porto a ficar com 48,9%.

A sondagem faz ainda a divisão das respostas que recolheu pelas regiões do país e, nesse campo, conta a ligação que os candidatos têm às cidades que cada um geriu no passado. Santana Lopes recolhe mais intenções de voto no distrito de Lisboa e também no Sul do país, já Rio tem um melhor desempenho no distrito Porto e ligeiramente melhor no Norte no seu todo.

Vamos aos números por região. No Norte, 11% dos inquiridos escolhem Rio e 10,1% preferem Santana. Já no distrito do Porto, a vantagem de Rio dilata-se (11,1%), face a Santana (8%). No Sul, Santana esmaga (4,8%) Rui Rio (2,2%). E no distrito de Lisboa, Santana consegue 9,1% e Rio apenas 6,9%. No centro do país, é o antigo primeiro-ministro que está à frente, recolhendo 15,5% das intenções de voto, enquanto o seu rival recolhe 14,4%. Nas regiões autónomas, a diferença é mais esbatida: 3,3% para Rio e 3,6% para Santana.

Numa outra sondagem divulgada esta quinta-feira — da Aximagem para o Jornal de Negócios e o Correio da Manhã –, a distância é maior. No inquérito limitado a simpatizantes (e não militantes, como no caso da Eurosondagem), 60,4% dos inquiridos preferem Rio como líder do PSD, face a 37,1% que escolheriam Santana. Quando o universo é alargado a todos os portugueses inquiridos (600), os números são ainda mais expressivos: 69% escolhem Rui Rio e 22,5% preferem Santana.

Ficha técnica da pergunta “quem prefere para primeiro-ministro?”

Estudo de Opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A., nos dias 8 a 10 de Janeiro de 2018, e encomendado por Fernando Teixeira.

Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados.

O Universo é a população com 18 anos ou mais, residente em Portugal Continental e habitando em lares com telefone da rede fixa.

A amostra foi estratificada por Região (Norte – 20,1%; A.M. do Porto – 13,4%; Centro – 30,0%; A.M. de Lisboa – 26,5%; Sul – 10,0%), num total de 1.015 entrevistas validadas.

Foram efetuadas 1.148 tentativas de entrevistas e, destas, 133 (11,6%) não aceitaram colaborar Estudo de Opinião.

A escolha do lar foi aleatória nas listas telefónicas e o entrevistado, em cada agregado familiar, o elemento que fez anos há menos tempo, e desta forma aleatória resultou, em termos de sexo, (Feminino – 50,3%; Masculino – 49,7%) e, no que concerne à faixa etária, (dos 18 aos 30 anos – 18,1%; dos 31 aos 59 – 49,1%; com 60 anos ou mais – 32,8%).

O erro máximo da Amostra é de 3,08%, para um grau de probabilidade de 95,0%.

Um exemplar deste Estudo de Opinião está depositado na Entidade Reguladora para a Comunicação Social.

Ficha técnica da pergunta “Se fossem hoje as Eleições diretas para Presidente do PPD/PSD, qual seria o seu voto?

Estudo de Opinião efetuado pela Eurosondagem, S.A., nos dias 7, 8 e 9 de Janeiro de 2018, e encomendado por Fernando Teixeira.

Entrevistas telefónicas, realizadas por entrevistadores selecionados e supervisionados.

O Universo é constituído por militantes do PSD com telefone da rede fixa.

A amostra foi estratificada por Região (Norte – 21,1%; Distrito do Porto – 19,1%; Centro – 29,9%; Distrito de Lisboa – 16,0%; Sul – 7,0%), num total de 548 entrevistas validadas.

Foram efetuadas 669 tentativas de entrevistas e, destas, 121 (18,1%) não aceitaram colaborar Estudo de Opinião.

O erro máximo da Amostra é de 4,16%, para um grau de probabilidade de 95,0%.

Um exemplar deste Estudo de Opinião está depositado na Entidade Reguladora para a Comunicação Social.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: rtavares@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)