O discurso de Donald Trump marcou esta sexta-feira o fecho do Fórum de Davos, na Suíça, ao fim de quatro dias de encontros e debates entre centenas dos principais líderes mundiais. O presidente norte-americano era, aliás, uma das presenças mais aguardadas no fórum que reúne algumas das figuras mais influentes de diferentes áreas, da política à economia, das artes ao ambiente, da cidadania ao desporto, para discutir temas que marcam a agenda global.

Como criar um futuro partilhado num mundo fraturado” foi o tema escolhido pelo Fórum Económico Mundial para a edição deste ano (o evento realizado todos os anos no final de janeiro passou a ter, desde 1988, um tema central de debate). Uma questão que não impediu Trump de se dirigir ao mundo a partir da Suíça defendendo que irá colocar “sempre a América primeiro, tal como os líderes dos outros países deveriam colocar os países deles em primeiro lugar. Mas isso não significa uma América sozinha”, declarou a certa altura o governante norte-americano.

Trump em Davos: “Vou pôr sempre a América primeiro”

Ao longo de quatro dias e de mais de 400 sessões, passaram pelo palco de Davos líderes de vários países e organizações, como os reis de Espanha e de Marrocos, o presidente de França, os primeiros-ministros de Israel, Alemanha e Canadá, a cantora Shakira ou os atores Cate Blanchett e Matt Damon, entre muitas outras figuras. Entre as presenças portugueses, destacam-se António Guterres, presidente da ONU, o primeiro-ministro, António Costa, e o ministro das Finanças, Mário Centeno.

Pelo meio dos discursos mais ou menos empolgados, os desafios e questões lançadas sobre o futuro, houve pormenores que não escaparam ao olhar dos jornalistas e das câmaras dos repórteres. Foi o caso das peúgas de alguns oradores –entre os quais se destacam Justin Trudeau, primeiro-ministro canadiano — que subiram ao palco usando meias com detalhes originais, os sapatos menos convencionais da primeira-ministra britânica, Theresa May, ou os encontros improváveis de bastidores entre políticos e ativistas, empresários e atores, entre outros detalhes.

O protocolo de segurança que rodeou todo o evento, não sendo invulgar, não deixou de ser alvo de curiosidade, bem como as manifestações de protesto de vários cidadãos (que usaram janelas e varandas para exibir as suas críticas) e organizações que aproveitam o mediatismo do evento para fazer passar os seus protestos.

São alguns dos pormenores que pode conferir nesta fotogaleria do evento.