Rádio Observador

Crédito à Habitação

FMI pode vigilância apertada dos riscos no mercado da habitação

Fundo Monetário Internacional diz que o Banco de Portugal pode ter de tomar medidas adicionais para evitar desequilíbrios no mercado da habitação. Preços estão a subir e o crédito da banca também.

LUIS FORRA/LUSA

O Fundo Monetário Internacional (FMI) considera necessário vigiar de perto os riscos crescentes no mercado da habitação em Portugal. No relatório sobre Portugal divulgado esta sexta-feira, o Fundo reconhece que o Banco de Portugal anunciou recentemente medidas para travar eventuais perigos no crescimento do crédito à habitação.

Defende por isso que as autoridades macroprudenciais, o Banco de Portugal, devem permanecer vigilantes e estar prontas para adotar medidas adicionais para prevenir a acumulação de desequilíbrios e para reforçar a resistência de bancos e devedores.

E que medidas? O Fundo aponta no sentido de alargar a cobertura e aumentar a qualidade dos dados sobre o mercado imobiliário, bem como reforçar as ferramentas analíticas. Também pede mais atenção aos critérios de atribuição de novos empréstimos, o que foi feito pelo Banco de Portugal, mas para já apenas através de recomendações.

O Fundo alerta para a travagem na redução da carteira de dívidas bancárias das famílias, depois de uma queda de 20% entre 2011 e 2016. A percentagem de dívida das famílias face ao rendimento disponível caiu mais 3% até setembro do ano passado, mas “continua acima da média europeia”. Para o menor ritmo de redução da dívida, contribuem sobretudo as novas operações de crédito ao consumo, mas também para a compra de casa. O fluxo de novos créditos à habitação está a crescer, apesar do stock de crédito hipotecário ter caído. No caso do consumo, o crédito concedido subiu 6,4%.

A acompanhar o regresso do crédito à habitação, está a subida do preço das casas que foi de 20% em termos reais desde 2013, muito acima da média de 7% na zona euro, tendo atingido o nível de 2009. Ainda que o Fundo registe que uma parte desta valorização está ligada às compras feitas por não residentes, destaca também uma subida do peso de habitações compradas com recurso a crédito bancário, que foi de 45% no segundo trimestre de 2017.

E por falar em estrangeiros, o Fundo Monetário Internacional deixa ainda um alerta para a dependência da economia e do crescimento do turismo, quando aponta os principais riscos externos à economia portuguesa.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: asuspiro@observador.pt
Filosofia Política

A doença mental chamada Amazónia

Gabriel Mithá Ribeiro

Resta decretar o estado de emergência climática que, na prática, se traduz no combate ao capitalismo em nome do socialismo, mas na condição daquele disponibilizar muitos mil milhões de dólares a este.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)