Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A bolsa italiana abriu a cair mais de 2%, em reação aos resultados das eleições de domingo no país, mas as perdas já foram reduzidas — o índice FTSE MIB caía apenas 0,5%, após cerca de meia hora de negociação. Os analistas estão a fazer contas aos resultados já conhecidos das eleições e a conclusão é simples: “Itália parece ser um país ingovernável”.

Marco Wagner, analista do Commerzbank, nota que nenhuma aliança partidária ou partido único conseguiu maioria, e “as possibilidades teóricas para formar um governo maioritário são politicamente difíceis”. “Após uma fase de negociações, acreditamos que acabará por ser formado um governo manta de retalhos, ou um governo minoritário — tanto um como outro irão tomar apenas as medidas políticas que necessitem de menos consenso”, lamenta o analista.

Com a vitória do Movimento 5 Estrelas, é impossível não sentir o terramoto populista e eurocético

Nas outras bolsas europeias, a tendência já inverteu e é positiva, depois das fortes perdas (2%) da última sessão da semana passada. O resultado do referendo no SPD alemão, que viabilizou a criação de mais um governo de coligação liderado por Angela Merkel, também estará a contribuir para reduzir os níveis de incerteza nos mercados.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR