O Banco de Portugal atualizou os números sobre o impacto no défice e na dívida das medidas governamentais de apoio ao sistema financeiro entre 2007 e 2017. Em Portugal, estas medidas tiveram um impacto acumulado neste período de 9,1% do PIB no défice e de 12,3% do PIB na dívida pública.

O impacto no défice de 2017 foi de cerca de 4,5 mil milhões de euros (2,4% do PIB), essencialmente por via da operação de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos, explica o Banco de Portugal.

Também esta segunda-feira, o Banco de Portugal informou que o saldo total da dívida pública portuguesa aumentou 2,4 mil milhões de euros em fevereiro, em comparação com o mês anterior, um efeito das emissões de dívida que já foram feitas nos primeiros meses do ano. O total de dívida “viva”, segundo dados divulgados esta segunda-feira pelo Banco de Portugal, ascendia no final de fevereiro a 246 milhões de euros.

As emissões de dívida feitas nos dois primeiros meses do ano estão nos cofres do Estado, enquanto não são usadas para reembolsar vencimentos de dívida antiga, por exemplo. Por essa razão, “os ativos em depósitos das administrações públicas aumentaram 2,2 mil milhões de euros”. Contudo, mesmo a “dívida pública líquida de depósitos registou um aumento de 0,2 mil milhões de euros em relação ao mês anterior, para 223,3 mil milhões de euros, informa o Banco de Portugal.