A Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) estima uma adesão “muito significativa” de cerca de 80% na greve desta segunda-feira, mas admitiu que há vários comboios a circular devido a um sistema “antigreve aplicado pela Infraestruturas de Portugal”.

José Manuel Oliveira, da Fectrans, falava aos jornalistas numa concentração dos trabalhadores da Infraestruturas de Portugal (IP) em frente à sede da empresa, em Almada.

Os trabalhadores da IP cumprem um dia de greve. A empresa queria serviços mínimos correspondentes a 25% do número de composições habituais de transporte de passageiros, mas o tribunal arbitral entendeu não decretar este serviço face à curta duração da greve e por haver transportes alternativos. Uma centena de comboios foram suprimidos a nível nacional segundo a CP, que até às 8h00 cumpriu mais de metade (62%) da circulação prevista.

Num ponto de situação até às 8h00, Ana Portela, da CP — Comboios de Portugal, disse que dos 266 comboios previstos no total foram realizados 166, sendo que as linhas com melhor desempenho foram as dos Urbanos de Lisboa (91% circularam) e do Porto (80%).

A greve também obrigou a suprimir 19 dos 34 comboios suburbanos previstos realizar até às 9h00 deste dua pela Fertagus, segundo a empresa.