País

Fim das quotas leiteiras não teve os efeitos positivos esperados, admite Governo

O secretário de Estado da Agricultura e Alimentação disse que o fim do regime das quotas leiteiras não conseguiu obter os efeitos positivos previstos, "originando uma diminuição brusca dos preços".

HUGO DELGADO/LUSA

O secretário de Estado da Agricultura e Alimentação, Luís Vieira, disse esta terça-feira que o fim do regime das quotas leiteiras não conseguiu obter os efeitos positivos previstos, “originando uma diminuição brusca dos preços”.

“A abolição das quotas leiteiras [em 2015] introduziu uma pronunciada liberalização no mercado que, conjugada com a menor procura mundial, esteve na génese da difícil situação atravessada pelo setor na União Europeia ao longo de 2015 e 2016, não se concretizando os efeitos positivos com o fim do regime de quotas leiteiras, originando uma diminuição brusca de preços no ano 2015”, disse Luís Vieira, em Lisboa, durante o fórum “Leite- Produto Nacional de Excelência”.

No entanto, o governante assinalou uma “recuperação significativa” dos preços do leite na União Europeia (UE), aproximando-os aos máximos de 2008 e 2014, “tendo como consequência uma maior estabilidade e equilíbrio do mercado, não se prevendo para o corrente ano, grandes alterações a nível dos preços”. Luís Vieira notou ainda que o setor do leite defronta-se hoje com um conjunto de desafios como “a necessidade de reforço da posição da produção na cadeia de valor agroalimentar”, a aposta na inovação e conhecimento ao nível dos processos, produtos e formas de comercialização, bem como o aumento do consumo do leite.

“É de assinalar o facto de um número crescente de consumidores manifestar a necessidade e interesse em conhecer a informação relativa ao país de origem dos géneros alimentícios que consomem, em particular, do leite e produtos lácteos”, sublinhou. O secretário de Estado da Agricultura e Alimentação defendeu ainda a necessidade de combater alguns “preconceitos” relacionados com o consumo do leite, que assentam “em pressupostos injustificados e pouco consistentes”, realçando que “fundamentos científicos continuam a aconselhar o leite e os produtos lácteos, enquanto alimentos saudáveis de uma dieta diversificada”.

De acordo com os dados disponibilizados pela Confagri — Confederação Nacional das Cooperativas Agrícolas e do Crédito Agrícola de Portugal, em 2017, a produção de leite em Portugal atingiu as 1.864.602 toneladas, representando 1,3% da produção europeia. No período de referência, estavam registados 5.017 produtores de leite, com um efetivo de 244 mil vacas leiteiras. A produção de leite nacional, em 2017, correspondeu a 689,1 milhões de euros, o que equivale a 12% do valor da agricultura e 28% do valor da produção animal.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)