O BPI está a equacionar vender ações no Banco do Fomento Angola (BFA) através de uma oferta em bolsa, revelou esta sexta-feira o presidente executivo do banco. Pablo Forero adiantou contudo que esta operação não irá acontecer em 2018.

No fim da assembleia geral, que se realizou no Porto, o novo homem forte do BPI, agora controlado pelo CaixaBank, reafirmou a intenção de vender ou reduzir a participação de 48,1% no banco angolano cujo controlo vendeu em 2016, no quadro de um acordo com Isabel dos Santos, então segunda maior acionista da instituição portuguesa. Este acordo permitiu resolver o excesso de exposição a Angola, respondendo a exigências do Banco Central Europeu, a viabilizar a oferta pública de venda do CaixaBank a quem a empresária angolana vendeu a sua posição no BPI.

Citado pela agência Bloomberg, Pablo Forero  acrescentou que a possibilidade de lançamento desta oferta inicial em bolsa ainda está a ser estudada e pode ser feita de forma independente dos outros acionistas do BFA, como a maior acionista, Isabel dos Santos. O banco ainda está a estudar como um IPO (oferta inicial de capital) pode ser feito e ainda não decidiu que participação tenciona manter no capital da instituição.