Rádio Observador

Andebol

Sporting derrota Benfica e sagra-se bicampeão nacional de andebol a três jornadas do fim

2.367

Sporting derrotou Benfica por 33-27 em Alvalade e somou a 28.ª vitória consecutiva (um recorde), assegurando a revalidação do Campeonato Nacional de andebol a três jornadas do fim.

Equipa de Hugo Canela conquistou o título após uma série de 28 vitórias consecutivas no Campeonato

LUSA

Uma vitória anunciada e com cereja no topo do bolo: quando faltam ainda três jornadas para o final da segunda fase do Campeonato de andebol, o Sporting recebeu e venceu o Benfica por 33-27 no Pavilhão João Rocha, carimbando assim a revalidação do título conquistado no ano passado após um longo jejum de 16 anos e batendo um recorde em termos nacionais: ao somar o 28.ª triunfo consecutivo, o conjunto verde e branco bateu o registo máximo que pertencia ao FC Porto.

Mas este foi um dérbi que começou a ser jogado muito antes, mais concretamente no final do jogo que os encarnados tiveram (e ganharam, 30-26) na Madeira, quarta-feira. Após o encontro, que teve Cavalcanti e Paulo Moreno como melhores marcadores, Carlos Resende, treinador do Benfica, projetou a partida no Pavilhão João Rocha com um reparo à conduta dos leões: “O Sporting tentará fazer o seu anti jogo, caberá à inteligência dos árbitros não permitir”. Carlos Galambas, antigo companheiro de equipa e atual diretor da modalidade em Alvalade, respondeu em declarações ao site oficial do clube: “Existe uma pressão inaceitável sobre a dupla de árbitros que foi nomeada. O Benfica entra em campo frente ao Sporting disposto quase sempre a praticar pugilismo”. Em resposta, uma fonte do clube da Luz recordou ao jornal Record a lesão de Fábio Antunes, a saída de Pedro Seabra ao intervalo de um jogo e os pontos que Ricardo Pesqueira teve de levar, sempre em dérbis.

O Sporting partia apostado em confirmar a tendência recente nos jogos com o Benfica, os encarnados queriam quebrar uma espécie de maldição que se foi avolumando nas últimas partidas: esta temporada, os leões venceram na Luz na fase regular (27-24) e na fase final (29-24), repetindo o resultado no Pavilhão João Rocha (33-29). Antes, e olhando apenas para encontros a contar para o Campeonato, é preciso recuar a 25 de maio de 2013 para encontrar um triunfo das águias (31-30, na última jornada da fase final que decidia o segundo lugar); daí para cá, em 15 dérbis, houve 12 vitórias verde e brancas e três empates. Uma tendência que foi esta noite alargada para 16 encontros na prova se triunfos encarnados.

E não demorou até se perceber a tendência do encontro: aos cinco minutos, o Sporting tinha conseguido já uma vantagem de quatro golos (5-1), que foi gerindo a partir desse momento (12-7 aos 15′). O primeiro tempo continuou com superioridade dos ataques face às defesas (35 golos nos 30 minutos iniciais), os leões chegaram à vantagem máxima de sete golos (18-11), avanço que estava ligeiramente reduzido ao intervalo (20-15). Frankis Carol e Nikcevic, do lado verde e branco, e David Carvalho e Alexandre Cavalcanti, por parte dos encarnados, foram os melhores marcadores com quatro golos cada.

A segunda parte começou com uma reação fortíssima do Benfica, que chegou mesmo a passar para a frente do marcador aos 41′ num contra-ataque bem concluído por David Carvalho (23-22). O Sporting ia acumulando erros no ataque, com várias posses sem remate, mas um desconto de tempo pedido por Hugo Canela conseguiu de novo inverter a tendência, com resultados práticos na agressividade defensiva dos leões que voltaram a passar para a frente do marcador com uma margem confortável de quatro golos (29-25) nos últimos cinco minutos, praticando carimbando o triunfo que se confirmaria por 33-27. Davide Carvalho, com nove golos, foi o melhor marcador do encontro, seguido por Cavalcanti (sete). No lado verde e branco, Pedro Portela, que está de saída para o campeonato francês no final da temporada, foi o mais certeiro com seis golos, seguido de Pedro Valdés, Frankis Carol e Ivan Nikcevic, todos com cinco.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)