Corrupção

Corrupção. 60% dos casos arquivados por falta de prova

Dos cerca de 400 procedimentos que foram comunicados pelos tribunais ao Conselho de Prevenção da Corrupção, 60% foram arquivados por falta de prova em 2017.

Public Domain

Dos 408 procedimentos criminais de corrupção, comunicados pelos tribunais ao Conselho de Prevenção da Corrupção em 2017, apenas cinco resultaram em condenações, noticia o Público, com base num relatório do conselho.

Mais de metade (59,8%) dos procedimentos criminais de corrupção reportados foram arquivados por falta de indícios de delito e dois resultaram em absolvição. Dos restantes casos, 70 resultaram em despachos de acusação e cinco em suspensão provisória do processo.

A elevada taxa de arquivamento parece ser justificada, em parte, por se tratarem muitas vezes de denúncias anónimas — cerca de um terço dos casos reportados —, o que dificulta a investigação dos crimes que já são, de natureza, difíceis de investigar.

O relatório considera, no entanto, que a realidade poderá estar subrepresentada: por um lado, os tribunais não comunicam todos os caso; por outro, este tipo de crimes tem “natureza essencialmente oculta e secreta, marcada por fatores tão fortes como os pactos de silêncio que se estabelecem entre os intervenientes, ou a ausência de testemunhas das ocorrências”.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: vnovais@observador.pt
Corrupção

O caso da OCDE e a corrupção /premium

Helena Garrido
4.493

O que se passou com a OCDE foi grave. O responsável pelo estudo foi impedido de estar presente na apresentação. E uma conferência da Ordem dos Economistas foi cancelada. Aconteceu em Portugal.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)