O espetáculo começou com Salvador Sobral em palco a cantar “Mano a Mano”, a primeira canção que lançou desde a cirurgia ao coração a que foi submetido há oito meses. O vencedor do Festival Eurovisão da Canção 2017 foi acompanhado por Júlio Resende ao piano e arrancou o pio ao Altice Arena. Mas, o momento que mais arrepiou o público da Eurovisão foi aquele em que o cantor brasileiro Caetano Veloso se juntou a ele no palco, praticamebte um ano depois de o ter elogiado à distância pela interpretação de “Amar pelos Dois”.

Veja o momento aqui em baixo, captado por um expectador da Eurovisão durante os ensaios de sexta-feira.

Ainda antes de pedir a Caetano Veloso que subisse ao palco, Salvador Sobral admitiu que ele é uma das referências musicais que mais seguiu na carreira: “O melhor que a Eurovisão me deu foi a oportunidade de conhecer o Caetano Veloso”, admitiu o português. Os dois artistas estreitaram relações depois de o autor de “Sozinho” ter apoiado Salvador no Twitter: “Eu quero que o Salvador Sobral ganhe o festival da Eurovisão. Ele é bom demais”, disse o brasileiro.

Apenas cinco dias depois, encontraram-se em casa de Carminho, com a companhia de Ana Moura, para uma noite de fados. O momento foi publicado no Instagram de Ana Moura, depois de ter sido gravado pela mulher de Caetano Veloso, Paula Lavigne: “Como já era de se esperar Salvador Sobral e Caetano Veloso na sintonia máxima com a sua mãe maravilhosa Luisa Villar ao lado”, escreveu a fadista. Passado um ano, Caetano Veloso e Salvador Sobral voltaram a encontrar-se, desta vez no palco do Altice Arena, para cantar a música que garantiu a vitória a Portugal em 2017.

[Veja no vídeo quem é Netta Barzilai, a vencedora da Eurovisão]

A apoteótica vitória portuguesa na Ucrânia contrasta totalmente com os acontecimentos desta noite: enquanto Salvador Sobral conquistou o maior número de pontos alguma vez alcançados na história da Eurovisão, Portugal ficou em último lugar na edição deste ano, que foi ganha por Israel numa batalha que durou até ao fim do programa.  A vencedora foi Netta com a canção “Toy”, um projeto que Salvador Sobral tinha criticado: “Apenas conheço a canção portuguesa e a de Israel, porque o YouTube me obrigou a vê-la. Coisas da tecnologia. De repente, o YouTube achou que eu iria gostar da canção de Israel, e então abri aquilo e saiu-me de lá uma música horrível. Eu pensei: YouTube, muito obrigado, mas não é por aqui. Felizmente, este ano, não tenho de ouvir nada. Não creio que tenha mudado alguma coisa. No ano passado, as pessoas diziam: “’Agora que ganhaste, isto vai mudar!’ Não creio. Talvez no futuro”.

Apesar do desapontamento de Salvador Sobral, o português teve de entregar o prémio a Netta em mãos, tal como é da praxe eurovisiva: o vencedor do ano anterior deve entregar o galardão ao vencedor do ano presente.