O Sporting Clube de Portugal divulgou, esta quarta-feira que se prepara para contratar três jogadores para a equipa principal e dois para a equipa de sub-23. Os nomes destes cinco jogadores ainda não são conhecidos. Em negociação estão, também, as condições do contrato de Fábio Coentrão.

“No plantel atual da equipa A — faltando aqui eventuais alterações com possíveis rescisões, vendas e compras —, neste momento, estão três jogadores em negociação para entrada”, refere o comunicado divulgado no site do clube. “No plantel sub-23 faltam apenas as contratações de um extremo e de um médio (negociações a finalizar) para estar completamente fechado.”

O comunicado que apresenta o plantel do próximo ano já não conta com os seis jogadores que rescindiram contrato com o clube na sequência das agressões em Alcochete.

Ainda durante a madrugada, Bruno de Carvalho, presidente do Sporting Clube de Portugal, publicou no Facebook que “tudo a partir de segunda-feira volta ao normal”. Para domingo, dia 17 de junho, está marcada uma Assembleia Geral onde o presidente leonino espera ver aprovado novas alterações aos estatutos do clube.

O presidente do Sporting apela à presença dos sócios lembrando que são estes que têm o poder nas mãos, dito de outra forma, no voto. “Medo é para os fracos.” Neste caso, os sócios têm o poder de aprovar, ou não, as sete alterações aos estatutos que vão ser apresentadas. Entre elas o aumento dos poderes da direção.

Bruno de Carvalho quer reforçar (ainda mais) os seus poderes estatutários

Esta alteração aos estatutos, a ser aprovada, vai recair sobre os estatutos que estavam (e estão) em vigor desde antes da Assembleia Geral de fevereiro de 2018. É que as alterações nessa assembleia, nunca chegaram a ser registados por Jaime Marta Soares, presidente da Mesa da Assembleia Geral. Posto de outra forma, as propostas agora apresentadas acrescentam ou completam pontos que ainda não existem em termos oficiais.

A Comissão de Fiscalização nomeada pela Mesa de Assembleia diz que a Assembleia Geral marcada para dia 17 de junho não é válida e que se trata de uma violação aos estatutos, porque só quem pode marcar a Assembleia Geral é o presidente da Mesa da Assembleia, neste caso, o presidente demissionário Jaime Marta Soares. Mais, a Comissão de Fiscalização destituiu, com efeitos imediatos, a atual direção do clube.

Comissão de Fiscalização suspende direção do Sporting “com efeitos imediatos”. Bruno de Carvalho reage