A dias de o verão começar, a Direção-Geral de Saúde (DGS) juntou uma lista de recomendações para fazer frente aos dias mais quentes do ano.

Entre as recomendações principais, a DGS aconselha:

  • Mantenha-se hidratado
  • Mantenha-se protegido do calor
  • Mantenha a casa fresca
  • Mantenha-se atento e proteja-se se tiver algum problema de saúde
  • Mantenha-se em contacto e atento aos outros

A DGS identifica seis grupos de risco: as crianças nos primeiros anos de vida; pessoas com 65 ou mais anos; portadores de doenças crónicas; pessoas que desenvolvem atividade no exterior, expostos ao sol e/ou ao calor; praticantes de atividade física; e pessoas isoladas e em carência económica e social.

Para cada um destes grupos, a DGS deixa algumas recomendações específicas.

No caso das crianças nos primeiros anos de vida, é recomendado o uso de roupas leves, soltas e de cor clara, além de um chapéu quando estiverem ao ar livre; consumo de água com mais frequência do que o habitual; evitar a exposição direta ao sol entre as 11h00 e as 17h00; colocar protetor solar antes de sair de casa; nunca deixar bebés ou crianças dentro de um carro estacionado, mesmo que por pouco tempo; consultar um médico no caso de febre ou diarreia e obter assistência médica imediata em caso de suores intensos; fraqueza; pele fria, pegajosa e pálida; pulsação acelerada e fraca; vómitos ou náuseas e desmaio.

No que toca a pessoas com 65 ou mais anos, a DGS diz que é essencial beber água mesmo quando não se tem sede; permanecer em ambientes frescos ou com ar condicionado; evitar a exposição direta ao sol; usar roupas leves, soltas, de cor clara, tal como um chapéu e protetor solar; tomar um duche com água morna no período de maior calor; fazer refeições leves e comer mais vezes ao dia; evitar a utilização de forno ou outros eletrodomésticos que possam aquecer a casa; manter o contacto com alguém atento e disponível, como um familiar, amigo ou vizinho; consultar o médico em caso de doença crónica ou se estiver a fazer uma dieta com pouco sal e restrição de líquidos.

Aos portadores de doenças crónicas pede-se que bebam água mesmo quando não estiverem com sede; que fiquem em locais frescos ou com ar condicionado; que evitem a exposição direta ao sol; que usem roupas leves, soltas, de cor clara, além de um chapéu e protetor solar; que usem menos roupa na cama, sobretudo nos casos de pessoas acamadas ou de fraca mobilidade; que tomem um banho de água morna nas horas mais quentes; que evitem usar o forno ou outros eletrodomésticos que possam aquecer a casa; que se mantenham em contacto com alguém atento e disponível; que procurem cuidados médicos de forma imediata caso tenham algum sinal ou sintoma associado ao calor; e que guardem os seus medicamentos em locais onde as temperaturas não são elevadas.

Passando às pessoas que trabalham no exterior, expostos ao sol e o calor, a DGS recomenda que bebam água frequentemente; que não bebam líquidos açucarados ou bebidas alcoólicas; que usem equipamento leve e protetor solar, desde que seja possível e seguro; que aproveitem as pausas para arrefecer, se possível onde houver ar condicionado; que tentem trabalhar com outros colegas por perto; e que procurem ajuda médica caso alguém se sinta mal no local de trabalho.

A quem for praticante de atividade físicarecomenda-se que comecem e terminem a atividade física de forma lenta e gradual; que evitem as horas de maior exposição solar, entre as 11h00 e as 17h00; que bebam água antes, durante e depois da atividade física e que, no caso de transpirarem muito, tomem um bebida com eletrólitos; que evitem consumir líquidos com muito açúcar; que façam desporto com companhia; e que parem de imediato se começarem a sentir atividade fraqueza ou sensação de desmaio.

Por fim, para as pessoas isoladas e em situação de carência económica e social, a DGS refere a importância de que elas sejam contactadas pelo menos duas vezes por dia e também de serem informadas sobre os locais climatizados e as condições climatéricas.

Saiba mais no site da Direção-Geral de Saúde.