As autoridades norte-americanas anunciaram este sábado que nove das 17 vítimas mortais do naufrágio de uma embarcação turística, durante uma tempestade no sudoeste do Estado do Missouri, nos Estados Unidos, são da mesma família.

Nove pessoas da mesma família morrerem no fatídico acidente que, ao todo, fez 17 vítimas mortais. Tia Coleman e o seu sobrinho de 13 anos foram os únicos sobreviventes dessa família. À CBS, a sobrevivente contou como perdeu “todas as suas crianças”.

Tia Coleman descreveu o acidente da sua perspetiva: “Não conseguia ver ninguém, não conseguia ouvir nada. Não conseguia ouvir gritos, senti que estava por minha conta. Eu gritava, gritava, e, finalmente, disse ‘Deus, deixa-me morrer, deixa-me morrer, não posso continuar a afogar-me.” Na embarcação anfíbia estavam, além de Coleman, a cunhada e os seus filhos, de 13 e quase 3 anos, o marido de Coleman e os três filhos do casal (de 9, 7 e 1 anos), os sogros e ainda um tio que vivia com eles. “O meu coração está muito pesado. Perdi todas as minhas crianças”, disse Coleman.

Uma grande onda varreu a embarcação anfíbia, disse Coleman, citada pela CBS. A única coisa de que se recorda é de ter ouvido a cunhada dizer “Segura o bebé”.

Quando a embarcação começou a afundar, Coleman tentou nadar. “Não conseguia ver ninguém. Sei que não foi o que aconteceu, mas senti que tinha resistido/lutado durante uma hora. Provavelmente foram apenas 10 minutos”, relatou ainda.

Embarcações anfíbias são “armadilhas mortais”

As embarcações anfíbias (“duck boats” em inglês) conseguem circular na água e em terra. Não é a primeira vez que este tipo de embarcação está envolvida em acidentes. Desde 1999, mais de 40 pessoas morreram em acidentes que envolveram embarcações anfíbias, garante ainda a CBS, que recorda dois casos em particular: os cinco estudantes universitários que morreram em 2015, em Seattle, quando uma destas embarcações colidiu contra um autocarro; e as 13 pessoas que perderam a vida em 1999, na sequência de um naufrágio no Arkansas.

Andrew Duffy, um advogado cuja firma lidou com uma litigação relacionada com dois acidentes fatais com veículos destes na cidade de Filadélfia, disse à CBS que “as embarcações anfíbias são armadilhas mortais”. “Não são adequadas para a água ou para a terra porque são meio barco e meio carro”.

As embarcações em questão foram originalmente desenhadas para fins militares — para transportar tropas e abastecimentos durante a Segunda Guerra Mundial. Mais tarde foram adaptadas para servir o turismo.

Trump: “Que Deus esteja com todos vocês”

Kelli Jones, porta-voz do governador do Missouri, Mike Parson, afirmou que duas outras pessoas que pertenciam à mesma família conseguiram sobreviver, quando a embarcação, um veículo anfíbio, virou e afundou no lago Table Rock, em Branson, de onde tinha partido com 31 passageiros.

Doug Rader, xerife do condado de Stone, disse que, provavelmente, a tempestade que se fazia sentir na quinta-feira fez a embarcação virar.

O meteorologista Steve Lindenberg do Serviço Nacional de Meteorologia em Springfield, Missouri, afirmou que a agência emitiu uma advertência de tempestade severa para a área de Branson na noite de quinta-feira e confirmou que os ventos atingiram velocidades de mais de 100 quilómetros horários.

Várias equipas de mergulho de várias agências de segurança ajudaram na investigação e o Conselho Nacional de Segurança nos Transportes informou que hoje iriam chegar ao local mais investigadores.

Suzanne Smagala, dona da empresa proprietária da embarcação, “Ride the Ducks”, em Branson, anunciou que está a auxiliar as autoridades no resgate e acrescentou que este foi o único incidente em mais de 40 anos de operação.

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, expressou as suas condolências aos “familiares e amigos” das vítimas da tragédia.

“Os meus sinceros pêsames às famílias e amigos daqueles que estiveram envolvidos naquele acidente terrível de barco que acabou de acontecer no Missouri, uma tragédia, uma perda, que Deus esteja com todos vocês”, escreveu Donald Trump na sua conta na rede social Twitter.