Metade dos doentes de HIV/SIDA que estão em tratamento na cidade de Maputo não transmitem o vírus, devido à eficácia do tratamento, disse o secretário do Núcleo Provincial de Combate ao HIV/SIDA, Samuel Quive.

Alcançámos avanços na redução de novas infeções e no aumento da esperança de vida das pessoas vivendo com HIV”, afirmou Samuel Quive, citado esta quinta-feira pelo Notícias, diário de maior circulação em Moçambique.

Samuel Quive assinalou que doentes, que têm cumprido eficazmente o tratamento, registam a chamada supressão viral, que, quando ocorre, torna o paciente seronegativo, deixando de ser transmissor do vírus.

A supressão viral não implica que o doente tenha de abandonar o tratamento, mas que ele deixa de ser transmissor da doença”, declarou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Os atuais níveis de supressão viral e a maior adesão ao tratamento podem permitir que a cidade de Maputo alcance o objetivo zero novas infecções em 2030.

“Temos vindo a registar uma redução do número de mortes associadas ao HIV, resultante da adesão ao tratamento”, acrescentou o secretário do Núcleo Provincial de Combate ao HIV/SIDA em Maputo.