Os duques de Sussex não vão voltar aparecer em eventos oficiais até setembro. Harry e Meghan Markle, cuja última aparição em público aconteceu na semana passada durante um jogo de polo, vão passar algum tempo em Balmoral, na companhia da rainha Isabel II — ainda assim, o mais provável é que o casal passe a maior parte do tempo no campo, na remota Cotswolds, no centro de Inglaterra. A ideia, assegura a Vanity Fair, é “dar um tempo” na muito agitada relação que ambos têm com os media — muito por culpa da família de Meghan Markle, que continua a protagonizar manchetes pouco simpáticas (sabe-se agora que a meia-irmã de Meghan vai entrar na edição britânica para celebridades do Big Brother).

“Harry está preocupado que haja muita histeria à volta de Meghan”, contou uma fonte não identificada à publicação já citada. Segundo Richard Palmer, correspondente para a realeza do Daily Express, Meghan está cada vez menos acessível, mesmo que a norte-americana tenha sido atriz numa outra vida. De acordo com o profissional, os jornalistas que cobrem eventos reais estão a ser posicionados cada vez mais longe de Meghan.

“Isso significa que não conseguimos ouvir nada do que ela está a dizer. Se não temos acesso a citações dos membros da família real, isso traduz-se, muitas vezes, em histórias aborrecidas”, continua Palmer.

A publicação InStyle escreve que podemos “oficialmente culpar Thomas Markle” pelo menor acesso à família real. O pai da duquesa de Sussex, que se casou com o príncipe Harry a 19 de maio, tem sido o grande protagonista dos principais escândalos associados ao nome Meghan Markle. O maior deles aconteceu quando foi apanhado a encenar fotos de “paparazzi”, motivo pelo qual faltou ao casamento da filha. Mas Thomas não faz intenções de estar calado e, recentemente, disse em entrevista que achava que Meghan estava “aterrorizada”.

O círculo de amigos do casal está cada vez mais curto. Tanto Harry como Meghan confiam nos amigos, que nunca poderão quebrar aquilo que é descrito como um “código de silêncio”. “O Harry não se costumava preocupar com o que se escrevia na imprensa (…), mas, atualmente, ele é muito protetor e defensivo da Meghan”, disse outra fonte à Vanity Fair.

Camilla Tominey, editora dedicada aos assuntos da realeza, refere que o casal está “extremamente incomodado” com o comportamento da família de Meghan, que tem vindo a falar à imprensa uma e outra vez. “Se a realeza valoriza nos outros uma qualidade acima de qualquer outra coisa, é a lealdade. O casal está muito dececionado com o que aconteceu.” Tominey continua: “Os príncipes são ambos pessoas muito privadas e tentaram ao máximo afastar a imprensa desde que a sua mãe morreu. Eles são extremamente protetores das suas mulheres e famílias e farão tudo para evitar uma repetição dos anos 80 e 90, quando sentiram que a princesa Diana foi perseguida”.