Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Há um incêndio com um quarto do tamanho do Algarve a lavrar há onze dias na Califórnia, conta a New Scientist. Este é o maior incêndio alguma vez registado nesse estado norte-americano depois de ter ultrapassado um fogo registado em dezembro que à época queimou mais de 114 mil hectares de floresta, consumiu mais de mil habitações e provocou a morte a duas pessoas. Este incêndio tem lavrado em terras mais remotas por isso não provocou vítimas mortais, mas já destruiu mil casas e obrigou à retirada de centenas de pessoas.

Este incêndio na Califórnia começou em perto da cidade de Redding e em onze dias atingiu o tamanho de Los Angeles, isto é, cerca de 1.302 quilómetros quadrados. A contribuir para a rapidez das chamas está a onda de calor que se abateu na costa oeste dos Estados Unidos, mas também o facto dessa região ser muito rica em vegetação seca nesta altura do ano, o terreno acidentado e os ventos, que têm sido velozes.

Outros focos de incêndio têm sido registados noutros locais ao longo da Califórnia: em Upper Lake, o fogo já consumiu 75 casas mesmo depois de as autoridades terem dito que estava dominado em 20%. O presidente da Associação dos Chefes de Incêndio da Califórnia diz que isso está a acontecer porque “por algum motivo, o fogo está cada vez mais intenso e muito mais rápido do que estava antes“. A este ritmo, o ano 2018 pode tornar-se no pior de sempre em matéria de incêndios para o estado da Califórnia.

No total há cerca de 14 mil bombeiros a combater o fogo em todo o estado norte-americano, que tem passado por temporadas de seca e tempo mais quente do que o normal por causa das alterações climáticas. Os Estados Unidos já receberam ajuda de bombeiros voluntários vindos da Nova Zelândia, até porque há outro foco a preocupar as autoridades: um incêndio com um terço do tamanho deste a lavrar há quase um mês no Parque Nacional de Yosemite.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR